sexta-feira, 28 de maio de 2010

A complexa relação entre um telefone e uma expatriada

Eu tenho pânico de telefone - pelo menos aqui na França. Arrisco dizer que atender o telefone é uma das tarefas mais dificeis para quem vai morar fora, principalmente para os lesados que, como eu, saem do Brasil sem conhecer nada do idioma falado no pais de destino. Para ser mais justa, eu falava abajur, petit gateau e baguete. Quantas frases você consegue formar com essas palavras? Não muitas, provavelmente.

Uma vez a vizinha tocou a campainha e eu, que estava na cozinha lavando a louça, congelei. Fechei a torneira e fiquei imovel, para ela pensar que não tinha ninguém em casa. Que sentido teria abrir a porta se eu não entenderia bulhufas do que ela ia dizer?

Teve também o dia que o interfone tocou insistentemente por uns 15 minutos. Eu andava agoniada de um lado para o outro da sala, pensando se atendia ou não. Estavamos esperando uma encomenda que vinha pelo correio, então imaginei que fosse o carteiro. Mas eu não sabia como perguntar quem era e, mesmo se soubesse, provavelmente não entenderia a resposta. Avaliando os estragos que a situação poderia causar, acabei ignorando o tiozinho. Pobre do Léo, que teve o maior trabalhão para localizar o pacote depois.

Agora ruim, ruim de verdade, é o telefone. Não sei o porquê, mas o daqui de casa toca muito. A cada ligação, um buraco se abre no meu estômago - me sinto uma foragida da policia. Onde ja se viu terr medo de telefone?

Um belo dia ele tocou e eu atendi - acidentalmente claro. Pensei que fosse o Léo, pois tinhamos acabado de nos falar (e ele sempre liga de volta porque tem o habito de esquecer alguma coisa). No impulso eu disse: "Oi amor", so o que não era o amor e sim uma vendedora qualquer procurando por ele. Bom, pelo menos foi isso que eu consegui entender. Cuspindo meias palavras, expliquei que ele so chegava às 19h. Ela agradeceu e desligou.

Eis então que liga a moça da imobiliaria. Entendi que era da imobiliaria porque em francês a pronuncia é muito parecida com o português, depois não entendi mais nada. A danada falava rapido como um cometa e, para piorar, estava brava. Pesquei uma palavra ou outra mas nada que desse sentido a uma frase completa. Depois de pedir para ela falar devagar dezenas de vezes, sem sucesso, desisti e desliguei na cara dela. Ela ligou de volta e eu, claro, não atendi. Mais uma vez sobrou para o Léo, que se desculpou mais tarde colocando no nosso telefone velhinho a culpa pela queda da ligação.

Cara a cara é outra coisa. Se o fulano não entender, é so apelar para os gestos ou apontar. Falar ao telefone e depender exclusivamente das palavras ainda é um pouco complicado para mim. Graças ao maldito friozinho na barriga, que insiste em me caminhar ao meu lado nessa dura batalha, desisti de atender as ligações aqui de casa. Os que me ligam sem sucesso, agora ja sabem o porquê.

32 comentários:

Glenda Dimuro disse...

Hahaha...bom, eu não tenho tanto problemas com a lingua, mas confesso que com certas pessoas tenho pânico de falar no telefone. O Andalú (como chamam o sotaque dos espanhóis do sul) é quase um dialeto e tem gente que fala quase um outro idioma! Cortam as palavras, falam rápido demais...nem mesmo os espanhóis entendem eles. Hoje mesmo ligou um amigo que fala no mais puro andaluz. É um amigão, adoro ele, mas ODEIO qdo ele me liga. Qdo tenho que atender, fico inventando o que falar, porque dai falo eu e sei do que estou falando...rezo para ele não começar um assunto novo e vou logo desligando. Uma ótima tática é dizer que a ligação está cortando...hahaha...coitado, mas é a solução!

Natasha Ulmer disse...

Falar no tel é a maior prova de fluência na lingua! Como vc disse, nao tem gestos, olhares, sorriso, cara de que nao esta entendendo nada... Me lembro que tb tinha panico de ligar ou ter que atender o telefone aqui!
Mas olha, até hj as vezes nao entendo qdo atendo o tel e a pessoa começa aquele discurso decorado, no qual eles falam super hiper rapido porque é obrigatorio para se identificar: bom dia, fulana sicrana da sociedade tal, estou ligando da parte do fulano sicrano e gostaria de falar com o senhor/senhora... Eu fico retida na primeira identificaçao e nao consigo ouvir mais nada, e algumas vezes tenho que pedir para a pessoa se identificar de novo, eles falam muito rapido, ela sabe quem ela é, mas eu nao, poxa, se identifica direito! Pelo menos nao sou a unica, tenho amigos franceses que tb nao entendem, mas fazem cara de paisagem (no telefone nao da para ver mesmo) e vao tentando entender quem é e do que se trata pela conversa!
Lembra da sua ligaçao para a Valerie? Foi a prova de que vc esta progredindo no francês, nao?

Gabriela Andrade disse...

Olá Mirelle.
Tenho acompanhado o seu blog há algum tempinho, também moro na Europa, na Holanda pra ser mais clara.
Passo por algumas situações inusitadas no meu dia-a-dia por aqui, tem um ano que ja estou aqui, mais o meu idioma ja está fluente.
Mais confesso que quando a ligação é do Brasil, ai sim eu penso duas vezes em atender, com medo de alguma noticia.
seu post ficou ótimo como sempre, estou lhe seguindo.
beijos!

Blog da Pandinha disse...

Mi, rolei de rir com a situação. Quer saber? Eu odeio TANTO falar ao telefone que tremo só de ver o aparelho... rs! E falando em telefone, conseguiu falar com nosso brother hj????? Bejaum

Leonardo disse...

Telefone é a prova de fogo da lingua mesmo amor, pricipalmente qdo a pessoa fala "pra dentro"! rs

Eu também ja passei muito aperto no telefone, pricipalmente qdo é gente de televendas tentando te vender qualquer coisa que a gente não precisa. Agora, por exemplo, ta na época do pessoal que quer por que quer te "ajudar" a pagar menos imposto.

Bjos amor

Katherine disse...

Eu tenho acompanhado seu blog pois ha dois anos vim pra Paris também por amor... no inicio passei exatamente por isso, me lembro uma vez que tocaram a campainha e eu estava com a tv ligada dai desliguei e parei ate de respirar pra nao fazer barulho ! E a pessoa insistiu mais um pouco e depois foi embora... também sempre tive pavor do telefone !!!

K∂riиє* Smith. disse...

HAHAHAHAHA
Cheguei aqui na Irlanda não foi ontem, mas continuo insegura com o telefone, mesmo dominando a língua, o sotaque iralndes e forte e quando é imigrante falando é pior ainda, muita coisa até hoje sobra para o Eamon resolver, só me meto a fazer ligações importantes se não tem outro jeito!

Mirelle Siqueira disse...

"rezo para ele não começar um assunto novo" foi otimo Glenda! Eu uso essa tecnica tb. Para falar com a mae das crianças de quem estou cuidando, ensaio antes de ligar. Passo todo o texto e cruzo os dedos para as conversas serem rapidas e ficarem naquilo que eu previ.

Natasha, vc tem toda razao! Tel é a maior prova sim! Morro de inveja do Leo que discute e ainda tira sarro com a cara desses vendedores todos que ligam pra ca. Eu fico tao apavorada que jamais conseguiria pensar em piadas para fazer...

Gabriela, tudo bem? Desculpa a minha ignorancia, mas ai se fala holandes ou inglês? heheheh. Se for inglês é mais facil, se for holandes, to chocada! Em um ano vc ja fala fluentemente? hihihi. Gostei do seu blog, coloquei no meu blogroll.

Oi Ursula! Jura que você, expansiva como é, nao gosta de telefone? Achei que fosse do tipo que se pendura nele por horas!!! Infelizmente nao consegui falar com nosso irmaozinho, mas mandei muitas energias positivas pros dois!

Amor, mas francês nao fala pra dentro, fala pra fora, pra fora ate demais! Nao eh vc que vive reclamando do bafao e dos cuspes que eles soltam quando falam pertinho?rs

Hehehehe, entao vc sabe o que eu passei com a vizinha ne Katherine? Fala que nao é horrivel sentir que vc esta sendo perseguida e que vao te levar presa se souberem que vc esta no apto! Aff, nao vejo a hora desse sentimento passar....

Ei Karine! Estive ai e é vero que sotaque irlandes é dificil de entender mesmo! Ainda bem que vc, assim como eu, tem um maridinho pra ajudar a resolver todas as pendencias ne?


Beijocas em todos!

carlos henrique disse...

pior, isso que vc falou ai é verdade... morria de medo, até que tive que mudar la do apê velho, e tive que ligar para a Free, a EDF e tudo mais... mas, muito diferente la do Brasil, eu achei o povo de atendimento ao consumidor aqui muito gente fina (ou eu dei sorte hehehe)...o pessoal da SNCF, da Smile's, tudo de boa...quando nao conseguia falar, ou nao entendia eles, dava pra se virar sem constrangimentos...

vai ligando pros SACs daqui pra treinar hehehe

eu ainda nao gosto de falar no telefone nao, mas fazer o q ? hehe

abraços

CH

Doce Design disse...

hahahahahahahahhahaa não é deboche, mas nao consigo parar de rir...te adoro mirelle

bjs

Leandro Wirz disse...

Acho que vou te ligar pra te convencer a virar seguidora do meu blog. Afinal, o endereço do mar de coisa já está no seu blogroll rsrsrsrsr
Mas vc deu sorte, não tenho o seu número. rsrs
Abraço pra vc e o rubro-negro.

ps.: seu texto é muito bom!

Rapha Aretakis disse...

Poxa, o mesmo acontece comigo! Ri muito com seu post. Vim passar 3 meses na alemanha com meu marido e passo parte do dia em casa, nossa quando toca o interfone ou o telefone eu só falto morrer, porque as únicas coisas que sei em alemão são: oi e tchau (hallo e tschüs). Eles não se esforçam nem um pouco pra falar em inglês, é o fim! Não atendo, por nada! hahahhahahah

Beijos,
Rapha Aretakis
http://raphanomundo.blogspot.com

Mirlene disse...

Filha,
Ri muito com o seu texto. Cada dia está melhor. Como conheço o ap de vocês fiquei imaginando você andando de um lado para outro sem saber o que fazer...
Beijos, te amo muito.

Mirelle Siqueira disse...

Po, que sacanagem! Todo mundo rindo da (minha) desgraça alheia!! Ainda bem que Caique e Rapha entendem bem o sufoco que passo por aqui!

Oscar disse...

Mirelle

Sei bem o que voce passa, quando morava em Cingapura, meu numero de ceelular devia ter sido de algum chines, virava e mexia ligava gente falando em chines, Ainda bem que falando em ingles as pessoas entendiam que o dono do telefone havia mudado.
Ja aqui nos EUA eu odeio atender o telefone, por conta dos telemarketings. Por isso na grande maioria das vezes so atendo ligacoes do Brasil e de numeros conhecidos!! Rsrs. Prefiro pegar o recado na secretaria eletronica!!
Btw Otimo Post!!

Renata disse...

Oi, Mirelle! Entendo perfeitamente o que vc está falando. Estou em Paris há 2 anos e sofria quando o telefone tocava no início do meu "séjour". Hoje, o meu francês já evoluiu muito e consigo me virar bem, mas ainda detesto aquelas ligações de telemarketing e de imobiliária querendo saber se vc quer vender o apartamento (que nem é seu!). Eu usava uma tática no início, falava: " Le proprietaire n'est pas là, il arrive à 19:00h, je suis la femme de menage, désolée!!". Era tiro e queda, depois todos ligavam quando meu marido chegava do trabalho e o pobre sofria...Beijos. Ps.: Muito bom o seu blog, tenho me identificado muito e revivido muitas histórias do meu início na França.

MICHELE disse...

Hehe te entendo bem, estou nessa mesma fase, atendo o telefone, ja consigo entender o que estao dizendo so nao sei responder rsrs, sei com o meu vocabulario restrito....

Mirelle Siqueira disse...

Oscar, eu tive o mesmo problema com o meu celular. So que ao inves de chineses, ligavam arabes. Eu passava correndo pro Leo atender, dai o Leo explicava que nao era da pessoa e começavam a xinga-lo em arabe! heheh, tadinho.

Renata, boa a desculpa! vou ver se consigo lembrar dela quando o meu telefone tocar de novo! e espero que em 2 anos meu frances tb evolua bastante, hehe!

Oi Michele, é bem isso mesmo. Da pra entender mais ou menos, quando eles falavam numa velocidade "normal", mas responder certinho, com todos os verbos bem cunjugados e tal é que é foda. Mas vamos que vamos!!!

Gostei de ver tanta gente se identificando com o post!!!

Beijos!

Renata disse...

Ah, eu tava lendo o seu post sobre trabalhar como "nounou", eu busco um garotinho na escola e fico com ele até a hora de um dos pais chegarem. É ótimo para aprender francês, vai fundo! Criança tem mais paciência para repetir o que vc não entende (e é super sincera também, no início o meu piralho falava que eu não sabia falar francês, dava uma raiva!). Agora que já estou com ele há mais de um ano, tô querendo mudar de trabalho, porque com o tempo cansa, vamos ver no que vai dar. Se precisar de alguma dica, pode me falar, tenho número de telefone de todos os serviços de urgências...rs. Bjs.

Gabriela Andrade disse...

Oi Mirelle =)
obrigada =)
hahaha, aqui se fala muito ingles sim, a maioria das pessoas, nas universidades e lojinhas fala-se muito ingles.
Mais o que predomina mesmo é o Holandes, aqui sim se fala muito.
Em um ano de Holanda, ja domino totalmente o Holandes.
Mais a questão é que em 2007 eu fiz um intercambio pra Holanda de 10 meses e resolvi voltar =)
então eu ja sabia dominar um pouco a lingua :D
beijos

Paticha disse...

Oi Mirelle, ultimamente venho lendo o que vc escreve e ás vezes até me divirto! Como agora, ao relatar o medo q vc tem do telefone. Tive uma experiência parecida qndo estive na Franç. Eu falo um pour francês, mas em algumas situações morria de medo de falar bobagens, ao telefone, por exemplo. Mas o pior de tudo era falar com a mãe do meu namorado, pois acho que ela me avaliava, entre outras coisas, até onde ia meu conhecimento no idioma. Quando sabia que ia encontra-la, ficava parecendo louca, treinando a conjugação dos verbos p usar o terrível vous!

Bisouss. Já estou ansiosa pra ler o próximo post dessa linda histoire d'amour!

Tatiane disse...

Mirelle adorei esse post vai ser a primeira vez que comento aqui!
Eu me identifiquei totalmente com a situação aff No inicio era toda hora procurando médico aqui eu desligava na cara direto e depois ia meu marido telefonar inventando desculpas!
Mas minha prova de fogo foi uma ligação pra euzinha da silva e meu marido bateu o pé que não ia retornar eu tive que telefonar, eu escrevi, li tudo treinei na hora a mulher me entendeu e fiquei até surpresa pq era para orgao publico mas eu tranpirava tanto de medo foi um horror!
Agora depois de 1 ano eu me viro mas hoje mesmo tive que quebrar o pau com a Orange e tinha hora que eu parava pra pensar kkkkk


Mas ca ente nos o povo do telemarketing fala muito rapido as vezes até no Brasil eu não entendia o q ue eles queriammmm!!

Mirelle Siqueira disse...

Um ano Renata? Vixe, meu contrato é de um mês so e to achando longo ja! rs... mas realmente, aprender francês com os pequenos ajuda mesmo. Boa osrte na procura por outro trabalho! Afinal, é sempre bom dar uma variada ne?

Ahhh Gabriela! Entao vc estava roubando ne?rs... ja tinha uma certa experiencia. Eu estudo o francês so ha 4 meses e espero que com um ano tb ja me vire melhor!!

Paticha, jaja vai sair um post sobre o maldito vous! Aguarde, hehehe!

Oi Tatiane! Você é entao mais uma das que conhecem bem o meu drama? Com telemarketing eu nao me atrevo a falar nem a pau. Ainda bem que o Leo é mais bonzinho que teu marido e nao me força, se bem que por um lado isso é bom, pq te ajuda a ganhar confiança ne? Escreva sempre!!

Beijocas meninas!

Glau Nott disse...

Haha tambem sofria ao atender o telefone, campainha e etc, mas a confianca em si mesmo vem com o tempo mesmo se vc n desenvolver um ingles/frances maravilhoso =D

Luciene disse...

hehehe... exatamente como eu... panico qndo tocava a campainha ou o telefone.

Qndo eu estava com o celular do meu esposo, esperando ele sair de uma reuniao, eu tive q atender o amigo dele, e foi mistura de frances com ingles pra ver se eu conseguia passar a msg....rs.. acho q a unica vez q atendi um tel na França :P

Vamos ver até qndo eu vou continuar assim. Boa sorte pra nós :) rs

Neide disse...

Oi Mirelle;
Nossa agora estou feliz, desculpa , mas eu pensei que so eu tinha tanto pavor do telefone! Eu faço a mesma coisa que vc, para mim é muito sofrimento atender o telefone. beijos!

Mr. Lemos disse...

hehehehehehe
Sem vergonha dumafiga!! Adorei a tática de desligar na cara. Mas a de fechar a torneira é imbatível!!! bjoca

Juliana Yonezawa disse...

Mi, vc vai rir tanto daqui a alguns meses quando reler este post!!

Ja estará dominando a língua e vai se divertir com tudo que passou. Sem isso, não tem a menor graça :)

*Suzan* disse...

Rindo tô eu, nossa, eu ri muito agora, muito engraçado seu texto, jeito que vc conta, suas reaões, Ri demais agora.. EU me sinto da mesma forma. E olha que, com o inglês, eu me dou super bem, mas o problema é que sendo inglês ou outro idioma(francês), os "nativos" falam muiiiito rápido, engolem pronúncia, então é super, hiper, mega complicado entender o que diabu é que a pessoa tá dizendo hahahah! Dá um nervoso né? Eu começo a rir..hehe. Adorei seu Blog! Vou seguir a partir de agora! Eu tbm tenho um Blog, é recente, se gostar, acesse:

http://beautye-style.blogspot.com/

Bjinhos. Suzana,30 / Fortaleza-CE

Roberta disse...

mto bom o texto...rsss
confesso que me identifiquei..rss
Bjos

Sue Ellen disse...

ahah é exatemente o que eu sentia quando estive em Paris! era terrível atender ao telefone.. mesmo sabendo um pouco de francês, parece que todas as palavras sumiam da minha mente! hehe melhor um sms ou então, uma conversa ao vivo! hehehe

Maria Luiza okoinski disse...

é verdade!!! Eu morei um tempo em Londres e no início tinha simplesmente pavor do telefone. kkkkkk.

Leia também:

Related Posts with Thumbnails