segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Como sobreviver em um restaurante francês

Embora restaurante seja restaurante em todo lugar do mundo, as condutas podem variar de acordo com a sua posição no mapa. Sair para jantar fora na França pode se revelar uma grande aventura, mas estas dicas podem ajudar:

1 - Pão e agua: Dois itens que não são cobrados nunca, por isso não se desespere quando o garçom colocar a cestinha de pães na sua mesa - ele não vai cobrar couvert. Mas a agua gratis é a da torneira, super consumida por aqui. Eu ja me acostumei e so tomo dela aonde quer que eu va. Se você preferir a agua mineral, precisa pagar. Para a agua da bica, peça une carafe d'eau e para a agua mineral, une bouteille d'eau.

2 - Personalizar o prato: Um habito que eu sempre mantive no Brasil foi o de pedir para tirar a salsinha do peixe ou para mandar fritas no lugar do purê, mas aqui na França eles não gostam disso. O prato é aquele que esta descrito no cardapio e você podera, no maximo, escolher o ponto da carne. Em restaurantes mais refinados até da para conseguir alterar um acompanhamento, mas é raro.

3 - Menu do dia: Nos cardapios você vai encontrar preços separados para entradas, pratos e sobremesas, mas todos os restaurantes oferecem também o 'menu do dia' (menu du jour) - uma opção bem mais barata. São dois ou três combinados diferentes por dia (entrada + prato + sobremesa, por exemplo). Vale muito a pena optar pelos menus, são eles que me permitem comer em restaurantes chiques sem gastar muito. E tem também o prato do dia (plat du jour), que é mais barato e servido mais rapidamente porque é preparado em grande quantidade. Pedir o plat du jour é uma das dicas mais valiosas que eu posso te dar.

4 - Bebidas: A bebida preferida dos franceses é o vinho. Eles almoçam e jantam tomando pelo menos uma taça. A maioria dos restaurantes possuem o vinho da casa (vin-maison), que é bem mais barato que os outros. Nem todos oferecem cerveja, e suco natural é dificilimo de encontrar. O que eles têm são garrafas de sucos industrializados, por isso me acostumei a beber so agua durante as refeições (da torneira, claro). Fique à vontade para pedir coca-cola, mas não estranhe se o garçom bufar.

5 - Entrada + prato + sobremesa: No Brasil não estamos acostumados a comer por etapas, como eles fazem aqui. Você não é obrigado a comer além do que sua fome pede, então não se sinta forçado a pedir entrada nem sobremesa se você so quiser um prato. Alguns restaurantes não servem so a entrada ou so a sobremesa, mas todos servem apenas os pratos se o cliente assim preferir. Lembre-se: quanto mais caro o restaurante, menos comida vem. Portanto, saiba que para se sentir satisfeito, um prato geralmente não é suficiente.

6 - Lentidão: O atendimento é muito lento nos restaurantes franceses. Não existe por aqui aquela quantidade enorme de garçons para atender os clientes. Eles demoram para trazer o cardapio, demoram para trazer os pratos e também demoram para trazer a conta. Não adianta bater o pé. Se estiver com pressa, a melhor opção é a brasserie, que serve com um pouquinho mais de agilidade (ou pedir o prato do dia, que eu citei acima). Ou então va ao Mc Donald's.

7 - Cardapio: Quase todos (para não dizer todos) os restaurantes mostram seus cardapios do lado de fora em lousas grandes (escritas com giz) ou pregados na parede de maneira mais discreta. Isso ajuda a decidir em qual restaurante entrar. Se você estiver passando na frente, é so olhar o cardapio para conhecer pratos e preços.

8 - Cigarro: Quando o inverno vai embora, as mesas que ficam do lado de fora, nas calçadas, são as mais disputadas. Se você decidir se sentar em uma delas, saiba que a lei que proibe o fumo dentro dos restaurantes não vale para os terrasses. Então, os clientes da mesa ao lado poderão fumar tranquilamente em cima de você, sem que você possa reclamar. Não suporta cheiro de cigarro? Sente-se do lado de dentro.

9
- Gorgeta: Não existe a cobrança dos 10% na França e nem a obrigação de dar gorgeta. As regras de etiqueta recomendam deixar em torno de 20% do valor final da conta, mas não é uma obrigação. Léo e eu so deixamos quando somos realmente bem atendidos - como isso é muito raro por aqui, os garçons quase nunca ficam com os nossos trocadinhos.

10 - Inglês/Francês: Nem todos os restaurantes oferecem cardapios em inglês. Os mais elegantes fazem questão de deixar tudo em francês, mas você pode perguntar ao garçom se ele fala inglês e pedir explicações sobre os pratos. Os restaurantes mais simples/rusticos também so possuem cardapios em francês. Nesses casos, os funcionarios provavelmente não vão falar inglês, por isso não é ma idéia levar um mini dicionario português/francês quando for comer fora. Os pratos são diferentes e, como eles enfeitam muito nas descrições, fica dificil decifrar o que esta escrito ali. Lembrando que em Paris quase todo mundo fala inglês, mas a França não é so Paris, né, gente?

Para finalizar, aproveite que esta na França e faça como os franceses: deslize um pedaço de pão pelo prato para recolher as migalhas que ficaram para tras. Não é falta de educação por aqui, pelo contrario, é tão normal que se você deixar restos ou molho no prato o garçom pode perguntar se não estava bom.

21 comentários:

carlos henrique disse...

boas dicas... pro vinho vale pedir sempe um "pot" ou um "pichet", que vem sempre com o vinho da casa... e sao menores que uma garrafa de vinho. A garrafa tem 750ml, enquanto o pichet pode variar de 250ml à 550ml.

Ahhhhhh, vinho da casa aqui é bom hehehe la no Brasil vinho da casa é sempre de chapinha pra baixo hehehehe e aqui o pichet é normalmente de vinhos regionais, que em 90% dos casos combinam com os pratos dos restaurantes (regra simples, prato da regiao, vinho da regiao, quase nao da pra errar).

bjos

CH

K∂riиє* Smith. disse...

Adorei as dicas.
A lentidão me aborreceu - muito- quando fui a Paris, em compensação adorei a fórmula de entrada+prato principal+sobremesa.
Também achei os preços bem mais razoáveis do que em Dublin.

Beijoca

ALVES DE MORAES, Gustavo disse...

Mas vou te dizer q sinto falta daquele couvert (mesmo que tenha q pagar por ele) com outras coisinhas pra beliscar além do pao. No Rio, ha um tempinho atras (papo de velho!) tinha gente que ia aos restaurantes no meio da manha ou da tarde so pra tomar alguma coisa e pedir o couvert, tipo apéro.
Sobre o vinho, nao sei se vc se lembra, mas até num churrasco la no beaujolais a gente tomou vinho em vez de cerveja. Vinho pra eles é agua colorida, suqinho de uva que da onda, ô povinho pra beber vinho!!!

Sobre a demora, é verdade, aqui eles nao se esforçam, até porque sabem q servir 5 ou 50 num almoço nao aumenta o salario deles com as gorjetas que "poderao" receber, até porque o salario ja é relativamente bom. O que eu gosto aqui é que na nota ja vem o valor do imposto retido, nao tem como sonegar, mas bom, quem sonega imposto no Brasil? Restaurantes???? Nuuunca!!!!

Gosto tb das "formules" com as opçoes dos pratos um pouco restritas mas q dificilmente nao agradam a maioria. E ainda tem s "bouchons", onde o menu é ainda mais restrito, mas bem gostoso e tipico da regiao.

Bem, sobre o inglês, melhor até ser em francês, porque o inglês de boa parte deles é, como eu poderia dizer, bem, tipo assim, deixa quieto, muito polêmico pro blog!!!

Mirlene disse...

Filha,

Fiquei novamente sentindo que devo retornar a Lyon para irmos a um bom restaurante. Ainda bem que tenho vocês aí agora porque a primeira vez em Paris comi pão e tomei refrigerante durante 5 dias.
Beijo, te amo.

Liana disse...

mto boas as dicas. eh isso mesmo. algumas tb se aplicam aqui à suiça :)

Leonardo disse...

Amor,

Pra mim o pior daqui é a demora. Entrar num restaurante sexta ou sabado à noite é um exercicio de paciência. Também não custava nada mandar uma manteiguinha ou patêzinho junto com o pão e a agua, como fazem alguns rarissimos restaurantes. Ainda mais se é pra fazer a gente esperar quase meia hora so pra vir pegar o pedido.

Uma dica util é mandar ver no pão se a entrada for pequena, pois a chance do prato tb ser pequeno é bem grande.

Outra dica é divulgar que Tartare de Boeuf é carne moida crua com um ovo cru por cima. Eu ja perdi a conta de quantas historias ja ouvi de brasileiros que pediram este prato achando que iram receber um bifão. Rs!

Beijos

Blog da Pandinha disse...

Ai Mi, sabe o que eu comia na França? Coisas de supermercado. Como AMO cerejas e td se encontra com cereja, abusava: iogurtes, geleias, bolachas, bolinhos. Morro de medo de comidas diferentes, ODEIO comer em casa de frances (pq tenho um certo trauma de carne crua) e tinha medo de comer na França. Tb odeio pouca comida (por isso sou gorda) e odeio esperar muito. Espelho espelho meu, existe alguém mais rabugenta que eu?????

Mirelle Siqueira disse...

hahahaha, acredite Ursula, eu ganho de você.

Leandro Wirz disse...

Ótimas dicas, objetivas e úteis. Valeu!
E me dá um autógrafo? rsrsrsrs

Mr. Lemos disse...

Putz, eu sou a cara do item 6, pq já larguei o restaurante pra comer no McPorcaria em Versailles. E tb odeio pouca comida. Não tem um restaurante mineiro pra vc me levar quando eu for aí???

Mirelle Siqueira disse...

hahahaha, Leandro, ta de olho no meu Twitter ne?

Irmao, claro que tem! Chama "chez moi" e a cozinheira sou eu!

:D

Rafael Carrara disse...

Mirelle,
E essa espera? é muuito tempo mesmo?
Porque o resto dá pra sobreviver tranquilamente hahahah.
Como sempre seu blog está ótimo, cultura vivida na prática! Isso sim que é inspiração!
Um Abraço,
Rafael

Juliana Yonezawa disse...

Mi, fiquei bem surpresa logo no primeiro item. Nunca vi restaurante que não cobra o pão. A água até que é comum...

Beijão, Ju

Myria Cabanach disse...

Mirelle,
como sempre mais um post instrutivo e bem util mesmo.
Par contre, tem uma coisa a corrigir, "lamber" o prato com um pedaço de pão é super mal visto ... falta de educação mesmo aqui. Mesmo si muita gente faz em casa, no restaurante é feio!

Bom, eu acho um pecado desperdiçar um bom molho e não quero nem saber, passo o pão na maior. :)

abraços

Mirelle Siqueira disse...

Uai Myria, so se for nos restaurantes mais chiques né? (se bem que até neles eu sempre vi passarem o pão).

Esse é um daqueles habitos como assoar o nariz que no começo me chocou muito, eu ainda não faço, mas pq nao gosto de pão com comida. Mas sempre fiquei de olhos bem abertos e SEMPRE vi todo mundo limpar os pratos com o pão, em todos os lugares que fui. Vocês não sabem gente, mas eu sou muuuuito chata com as minhas "pesquisas" e so escrevo algo por aqui quando vejo que não é habito so de um ou dois... enfim, você mora onde Myria? Vai ver o povo de Lyon é que é mais a vontade mesmo! rs

beijocas!

L.M. disse...

mimi,

adorei teu post!!! muito bem explicado! quando eu estive na Italia me ferrei porque achava que a agua e o pao eram como na França (de graça) e eles cobraram 2 euros por cada fatia de pao, além de 3 euros da garrafa de água da pia. Acredita?
bjsssssssss
lu

Iara Fonseca Schmidt disse...

Pra vc não dizer que eu sumi daqui ... rs Adorei o post e acho super importante esse tipo de dica pra quem se programa pra vir pra França, tem gente que realmente fica meio perdido =/ rs - Só nos resta saber se o de comida mexicana vai ser assim tbm, né? heheh

Lu disse...

valeu a dica!
mas é "bon apetit" OU "bon appétit" ???

Myria Cabanach disse...

Opa Mirelle,
Moro em Strasbourg, mas também ja vivi ai em Lyon 2 anos.
Bom, depois que li teu comentario ainda fui perguntar a outras pessoas pra certificar que o que eu tinha dito não era besteira. E todo mundo confirmou que era falta de educação, massssss que se fazia mesmo assim. Eu também vejo todo mundo aqui saucer l'assiette sem a menor gota de constrangimento. E bom, deve ser uma dessas coisas que caiu no gosto do tempo e que ninguém ta nem ai se alguma regra de etiqueta diz o contrario.

beijoca pra ti e boa viagem a Roma.

Mirelle Siqueira disse...

hahahaha, pois é Myria, como eu vejo todo mundo fazendo (em restaurante chique ou simples e aqui em casa tb, quando vem frances jantar) eu presumi que nao fosse falta de educação, como assoar o nariz por exemplo. que todo mundo faz.

mas eu nao raspo o prato pq eu nao gosto de pao com comida, dai uma vez, o garçom me perguntou se o molho nao estava bom, eu disse que sim e ele "é que você não usou o pao para comer tudo!" hehehehehe, eu achei o maximo! por isso fiz a piadinha de que podem nao gostar se nao usarem o pao!

mas bom, a conclusão entao é que a brasileirada pode limpar o prato tranquilamente que nao vai fazer feio certo??? hehehe

beijocas!!!!

ps: Querida Lu, muito obrigada pela correção, ja arrumei no texto! Sabe como é ne, começo de aprendizagem e tal... ;)

Daiana Azevedo disse...

Nossa amei o post, me tirou um monte de duvidas, mas ainda tenho algumas como por exemplo, é comum eles servirem coisas exóticas ou são como aqui no Brasil tudo bem normal??????

Amo seu blog parabéns.

Leia também:

Related Posts with Thumbnails