segunda-feira, 4 de julho de 2011

Chambres d'hôtes: a melhor opção de hospedagem na França

Imagine vir passear na França e, além de descobrir lugares bonitos e comer bem, conhecer de perto franceses gentis e praticar um pouco o seu francês. Acha que é impossivel? Que nada! Franceses simpaticos e atenciosos existem, e a maneira mais facil de encontra-los é reservando um chambre d'hôtes.

Chambres d'hôtes são quartos que as pessoas colocam para alugar dentro das suas proprias casas, geralmente para acolher visitantes de passagem por alguns dias. Ao se hospedar na casa de alguém, você vai dividir as areas comuns da casa com os moradores e pode até passar algum tempo com eles, durante o café da manhã ou o jantar, por exemplo. Em relação à privacidade, não existe nenhuma diferença entre reservar um quarto na casa de um francês ou um quarto de hotel, mas em um chambre d'hôtes quem vai te receber não são funcionarios de falas decoradas, e sim os donos da casa. Se relacionar ou não com eles é uma escolha do viajante. Esse tipo de hospedagem não so pode sair bem mais em conta que ficar em um hotel, como é também mais divertida.

Não é regra, mas as pessoas que alugam esses quartos são, geralmente, aposentados que possuem casas ou apartamentos grandes e com quartos que ficaram vazios depois que os filhos se mudaram para casar ou estudar. São pessoas abertas, que falam inglês e que, além de buscar uma renda extra, estão super interessadas em trocar experiências e conhecer gente nova, de outras nacionalidades.

Nossa primeira experiência em um chambre d'hôtes não podia ter sido melhor! Depois de assistir a uma reportagem que mostrava alguns dos mais charmosos chambres d'hôtes da França, decidi ligar e fazer uma reserva na casa do Philippe e da Esméralda em Argentat, na região da Corrèze. Eu sei que para nos, brasileiros, a ideia de ficar na casa de alguém soa meio estranha, mas os franceses estão super acostumados e, pra ser sincera, eu adorei! Nosso quarto tinha tudo que precisavamos: cama king size, toalhas macias, roupões, banheiro privativo, hidromassagem, lareira, wi-fi e uma vista de tirar o fôlego.

foto: reprodução

foto: reprodução


A principal diferença é que a impessoalidade dos hotéis nem passa na porta de um chambre d'hôtes. Cada casa tem sua historia, cada familia tem algo unico a oferecer aos hospedes. Fomos recebidos pelo Philippe que, de chinelos, veio nos desejar as boas vindas. No final da noite, quando voltamos de um passeio, ele nos ofereceu como digestivo uma bebida local que o Léo adorou e ainda me perguntou se eu queria sorvete, depois passou um bom tempo conversando com a gente na varanda que fica de frente para o rio.
foto: reprodução

Philippe  nos contou a historia da cidade e falou também sobre a casa dele (que foi comprada de uma velha senhora que cuidava de cabras bem ali). Não aproveitamos mais da sua companhia porque estavamos muito cansados, mas conversamos um pouco mais durante o café da manhã - o melhor café da manhã que ja tomamos em viagens, vale ressaltar. Aquele gostinho caseiro das geléias que hotel nenhum oferece, sabe? E a florzinha colhida no jardim da casa e delicadamente colocada em frente à louça?


Todos esses detalhes fazem com que os chambres d'hôtes sejam a melhor opção para os viajantes que gostam de descobrir coisas diferentes e de se sentirem bem cuidados mesmo longe de casa. Temos planos de rodar toda a França de carro e ficar em hotéis esta totalmente fora de cogitação, afinal, existem quartos disponiveis em todas as regiões, até mesmo em Paris!

Também ficou interessado? Encontre o seu quarto nesse site aqui, e para conhecer melhor o paraiso onde o Léo e eu comemoramos o dia dos namorados, clique aqui. Uma experiência dificil de não ser aprovada.

37 comentários:

Nine disse...

Oi, Mi!!!
Que idéia bacana... simplesmente adorei! Poder fazer uma imersão na cultura francesa, e se der a sorte de pegar casais de idosos, melhor... pois são os que têm as melhores histórias pra contar, eu e meu marido adoramos passar horas conversando com pessoas assim!!! Já guardei tua idéia, se experimentar, venho te contar!!!
Mas o que vim te dizer, é que ontem terminei um livro que me deixou mais apaixonada pela França, Um Ano na Provence é um livro tão fofo, mas tão fofo, que a gente se sente parte da história... várias vezes fiquei imaginando as sensações que vcs tiveram aos primeiros contantos com a cultura local, e as descobertas aos pouquinhos, ou até alguns choques, que podem acontecer... Foi uma verdadeira viagem... Vaucluse, Luberon, Lyon, Nyon, Avignon... entre outros lugares! Sabe quando o bichinho viajante já mora em vc, quietinho, mas de repente dá aquela coceirinha... é isso!

Escrevi demais, mas queria compartilhar essas impressões com vcs!
Beijinhos

Jô Bibas disse...

Será, Mirelle? Eu fico pouco à vontade até em casa de parentes... mas é meu jeito, a ideia é ótima!
Bom fim de fim de semana (aí até já acabou)

Mirelle Siqueira disse...

Oi Nine, nossa, fiquei super afim de ler esse livro! Me interesso por tudo o que fala sobre a França e os fraceses. Vou pedir pra minha mãe trazê-lo pra mim! Sobre as pessoas que recebem, nem sempre são idosas. Nos, brasileiros, temos o reflexo de ligar aposentados a idosos, mas na França se aposenta na flor da idade! Os aposentados franceses nem são tão idosos assim... rs.

Oi Jô! Sim, sim, sim! Vale super a pena! Como eu disse no texto, não ha nenhuma diferença entre ficar na casa de alguém ou em um hotel (nesse sentindo de privacidade, quero dizer), porque você aluga o seu proprio quarto e não é obrigado a conviver com as pessoas da casa. Mas geralmente quem aluga um chambre d'hôte são pessoas interessadas em partilhar experiências, em jantar junto conversando em francês, em conhecer coisas novas. Eh uma otima opção. Mas, olha, se eu e o Léo quisessemos simplesmente ter chegado e ido direto pro quarto, poderiamos tê-lo feito, sem problemas. ;)

Beijos meninas!

Nine disse...

Hahaha, é mesmo? Aqui cada vez as pessoas se aposentam com mais idade, e bem como vc disse, ficamos com essa imagem dos velhinhos... Mas de qualquer forma, a idéia de trocar experiências me chamou a atenção! Principalmente por ter a chance de saber um pouquinho da história pela ótica de um local e ainda treinar o idioma! Ao mesmo tempo, é bom saber que eles tem o cuidado de oferecer a opção de total privacidade, pois há quem curta mais dessa forma.

Sobre o livro, vais amar, Mi. Eu devorei em dias... ele foi escrito tão detalhadamente, muito rico em informações.. um misto de guia historico, gastronomico, cultural romanceado, se é que vc me entende... rsrsrs!

Beijinhos

Camila Navarro disse...

Eu também ficaria com um pouco de receio de ser obrigada a me enturmar. rsrs Mas como você disse que essa é uma escolha pessoal e que há privacidade, acho que é uma excelente opção. Ainda mais em uma casa tão aconchegante, com uma vista linda e um café da manhã delicioso. ;)

"Um Ano na Provence" realmente é ótimo. Dá vontade de arrumar as malas correndo!

Beijos!

Mirelle Siqueira disse...

Eu sou suspeita pra falar, Camila, pois nas minhas viagens o que eu mais gosto é de interagir com os locais; A viagem pra Israel foi a melhor justamente porque foi la que conhecemos as pessoas mais simpaticas. Tento aproveitar todas as oportunidades que tenho para interagir com essas pessoas. E como você disse, as casas geralmente são super francesas, antigas, cheias de historia (porque pertencem à familia ha gerações e tal) e quarto de hotel é sempre tão igual, né? Enfim, é uma opção diferente para quem curte coisas diferentes! :)

Bjim!

Patty disse...

Nossa, que interessante este post. Jamais imaginei que teriam hospedagens deste tipo. O bacana é o que descreveu, que não há diferença entre o hotel e o quarto de um chambres d'hôtes.
Falando na delícia das geleias, qdo fui ao RS, mais precisamente em Nova Petrópolis, tb comi uma geleia caseira que estava maravilhosa! Eu amo geleias e não tem coisa melhor do que coisas caseiras, né?

Adorei :)
Bjs.

Mirlene disse...

Filha,

Que idéia boa essa de alugar quartos em casas de famílias e conhecer mais a França. Lindas as fotos! Que lugar maravilhoso! Espero que vocês viajem, viajem, viajem e contem tudo, tudo, tudo para nós...
Beijo, te amo.

Leonardo disse...

Amor,

Ja deu saudade daquele café da manhã. Muito melhor algo simples assim do que aquele aqueles buffets sem graça de hotel. Fora que é muito mais legal a gente conhecer um lugar e um povo trocando idéias com um nativo, do que através de um guia. Chambre d'hôte é o canal!. Bora de novo?

Bjim

Milena Fischborn disse...

A id"ia é otima, mas geralmente quando vou atrás os preços me parecem exorbitantes em comparaçéao com um hotelzinho modesto,então ficamos com a opção "hotel barato mais limpinho". Quando estivemos recentemente em Etretat, percorremos toda a lista de "chambres d'hôtes" da região e ligamos para cada número, e tudo estava lotado (e ainda nos informaram que tudo estava completo de junho a agosto). Sinal de que é uma boa opção, mas tb que dependendo do destino é melhor reservar com antecedência!!!

Grazi disse...

Mirelle,
Que idéia bacana !!!
No filme Marley e Eu os personagens ficam hospedados em um desses quartos, vc viu?

Carina-Senzatia disse...

Aqui na Alemanha também existe esta mesma opcao, e eu acho uma delícia me hospedar neles! Super indico! Ah, na Áustria também tem e vc acha pelo nome de Gasthaus nos 2 países. :-)

K∂riиє* Smith. disse...

Eu acho que fuinciona como um Bed e breakfast aqui na Irlanda, pelo menos a proposta é a mesma, mas em relação ao preço, é mais caro ou mais barato do que hotel?

beijooooo

P.s.: consertei o sistema de comentários e vc pode comentar até logada no twitter :D

Mirelle Siqueira disse...

Isso ai, Patty! Em relação à privacidade não ha nenhuma diferença! Acho que numa hospedagem como essa, o viajante so tem a ganhar (principalmente pq para receber o certificado de chambre d'hôtes, os cafés da manhã precisam ser fartos e com produtos frescos e caseiros, além de ter coisas tipicas de cada região - o que garante geléias deliciosas sempre!) :)

Oi mãe, pensei o tempo todo na senhora enquanto estava la! Prometi aos nossos anfitriões que voltaremos com você, quem sabe no outono né? (ele falou que a cidade fica ainda mais bonita com aquelas cores envelhecidas de outubro!)

Sim, sim, sim, amor! Bora de novo pra esse mesmo e descobrir todos os outros que estão nos nossos planos!

Pois é, Milena, pode acontecer de não ter vagas mesmo, é preciso uma certa antecedência, principalmente no verão. O que acontece é que as casas tem no maximo 5 quartos para alugar (mas a maioria tem mesmo 1 ou 2 - esse que ficamos tem so 2). Então se so tem 2 quartos, é preciso garantir a vaga com antecedência. Sobre os preços, não achei caro não viu? Esse que ficamos é mais caro sim, mas pq é um chambre d'hôtes de charme, ou seja, esta entre os mais carinhos. (carinhos em termos, pq pagamos mais caro num hotel ridiculo em Paris). Mas ja achei quartos de 25€ por casal! Tem é que ter paciência pra procurar mesmo.

Ei, Grazi, não vi esse filme não! Eh bom?

Pois é, Carina. Na verdade essa opção de alugar quartos existe no mundo todo (em uns lugares é mais comum, em outros menos -mas tem até no Brasil!!). Ficamos tão empolgados com a ideia que ja reservados tb um quarto na casa de um cara em Amsterdam (vamos pra la em agosto).

Sim, Ka, a ideia é mais ou menos a dos B&B, mas com uma atenção mais personalizada. Os proprietarios se colocam a disposição para receber os viajantes como se fossem visitas mesmo. Sobre os preços, em geral é beeeeem mais barato que hotel. Mas tem uns que são tão luxuosos que custam mais caro mesmo. Na verdade é como os hotéis, tem de todos os preços, mais simples, mais luxuosos, para todos os gostos e bolsos!


Beijocas!

Adriana Pessoa disse...

Oi Mirelle,
já me hospedei em chambres d'hotes em uma viagem pela Alsácia e minha experiência foi realmente incrível.
Me lembro em especial da nossa hospedagem em Riquewir. Um quatinho lá no alto de uma escada, mega charmoso, com hidro, muito confortável!
Beijos.

Natália Gastão disse...

Incrível!!!!
Só de ler o post me deu vontade de ficar na casa do Philip!
Sem dúvidas, esse é o tipo de hospedagem que procurarei quando for visitar e conhecer a França. No momento, vou me aventurar pelo Couch Surfing em Moscou.
E sim! Os brasileiros olham torto para as hospedagens alternativas! Será que um dia isso muda?
Adorei o post! E as fotos, estão causando uma inveginha branca básica! =)
Beijinhos!

Maria Amélia disse...

Adorei a dica!!! Da próxima vez que for à França irei procurar diretamente no site que nos passou!! Beijoss

Carolina Gomes disse...

Oi MIrelle!

Conheci seu blog através do conexão Paris. Desde então fiquei viciada!!!!! Parabéns, você escreve muito bem e seus comentários são muito interessantes!!!
Bjs de sua nova fã,
Carolina Gomes

altrimenti disse...

Ola Mirelle
Eu nao levava muita fè nesse tipo de hospedagem nao.. Mas estou lendo o seu post ja estou começando a me animnar.rsrs
Amei!!
Bjs

Ana disse...

Que saudade da França!!!!

bjs querida!

www.ananumdiadaqueles.blogspot.com

Ale Quejinho disse...

Ola, minha primeira vez por aqui. Estou passando uns dias em lyon com meu filho de 5 anos e meu marido que veio a trabalho. E assim encontrei seu blog.estou amando descobrir lyon atraves de seus posts. Seu casamento foi o melhor de todos pra mim.
Abianto,
Ale

Grazi disse...

Mirelle,
Esse filme é uma graça, não deixe de assistir! Só não sei em que país é o Chambres que eles se hospedam.

Mirelle Siqueira disse...

Que bom ver o depoimento de mais alguém que ficou em um chambre d'hôtes, Adriana, assim não fica parecendo historia de pescador, rs. (o nosso quarto tb era la em cima e no final de uma escadinha)

Isso ai Nathalia, aproveita essa sua alma viajante pra descobrir coisas que vc ainda não conhece! e eu é que tenho invejinha dessa sua coragem de fazer couchsurfing, apesar de eu achar a ideia otima, não tenho vontade de fazer (como eu ja te disse, sou chata demais pra dormir, preciso de um cantinho so pra mim).

Faça isso, Maria Amélia! Se vc gosta de experiências diferentes, vai curtir ficar em um chambre d'hôtes com certeza!

Obrigada, Carolina! Espero te ver mais vezes por aqui! :)

Juro pra vc que é uma maneira especial de conhecer a França, Alttimenti, pode levar fé!

Beijos, Ana!

Obrigada, Ale! Aproveite bem esses dias em Lyon, ainda bem que tem feito dias bonitos por aqui! (eu sei que esse "dias bonitos" fica horrivel em português, mas eu não sei mais falar isso sem ser afrancesado assim!! hahahaha)

O filme ja foi pra minha lista de filmes, obrigada Grazi!

Beijos meninas!

Patty disse...

Mi, com vc eu aprendo sempre, viu!
Esses dias uma amiga estava comentando que queria ir para a França e tal, mas que os hotéis eram caros. Comentei dos Chambres d'hôtes e indiquei seu blog. Olha só, já posso até bancar "guia turística" com seus posts! hehehe
Depois até preciso perguntar se ela leu, mas acredito que ela encontrou e encontrará uma ótima opção, caso ela vá para a Cidade Luz ;)

Bjim

Lívia disse...

Olá Mirelle,
Por acaso encontrei o seu blog, futricando assuntos sobre a França. Adorei!!! Também sou jornalista (recém formada) e tenho muita vontade de conhecer esse país, que parece ser encantador. Como acabei de formar, estou juntando dinheiro para fazer essa viagem. Então, peço que dê algumas dicas de onde comer (barato), lugares que não se pode deixar de ir, melhor época para viajar, mais ou menos quanto levar de dinheiro para gastar por dia. Um guia para marinheiros de primeira viagem à França.rs.
Tudo de bom. Beijos, Lívia.

Juliana Yonezawa disse...

Oi Mi, ficar hospedada na casa de locais e uma otima forma de conhecer a cultura do povo. Nunca fiz como turista, mas ja fiz varias vezes como estudante!!

A casa deste casal e sensacional hein!!! Coloca muito hotel no chinelo;)

Mirelle Siqueira disse...

Hahahaha, vc é demais, Patty! Obrigada pela publicidade! xx

Nossa, Livia! Eh impossivel dar tantas dicas assim de uma so vez, mas vou tentar postar muita coisa aqui pra te ajudar a montar a viagem, ok? Va lendo os textos antigos tb que tem muita coisa que pode te ajudar.

Isso mesmo, Ju! Essa é sim a melhor maneira de ficar mais perto dos locais e de se hospedar muito bem gastando menos que em um hotel. Essa casa que ficamos é um bom exemplo, eu classificaria como um otimo hotel 4 estrelas, mas pagamos o preço de um 2 estrelas em Paris. Compensa demais!!


Bjim!

Mr. Lemos disse...

Irmã, achei a viagem demais, mas terminei o post com uma grande dúvida: afinal, vc aceitou ou não o sorvete??? Se sim, qual era o sabor??

Outro dia li uma bobagem que vc postou no twitter sobre ter vergonha dos posts antigos. É claro que eles são diferentes e é claro que os textos mais recentes sempre nos agradam mais. Assim como as fotos. Vc com certeza se acha mais bonita agora do que antes, não?? Ser melhor agora não quer dizer que vc não fosse boa antes. Humpf!! ;))

Aproveitando, seus últimos posts e fotos estão com muita cara de revista. É um elogio. Vc tinha que dar um jeito de publicar isso em papel ou ganhar dinheiro online mesmo...

bjocs

Depois dos 25... disse...

Já fiquei em uma hospedagem assim na Itália e não tive uma boa experiência. Quando voltamos da rua os donos tinham mexido no nosso quarto... Aí meio que desistimos, mas acho que vale muito a pena se você fizer algumas pesquisas e ver o que outras pessoas acharam da experiência. Para os brasileiros parece estranho, mas fora daquei é tão comum... Essa sua foi perfeita!!!

Beijos

Juliana Beaup disse...

Mirelle, lindas fotos!! Acho uma otima opçao.....alias, meu sogro faz ha dois anos, vou deixar aqui o blog e a indicaçao de um site de Provins.....o mais legal é que o serviço é "franco brasileiro".......http://www.provins.net/index.php/hebergements/la-ferme-du-merger.html

http://lemerger.skyrock.com/

Mirelle Siqueira disse...

hahahaha! eu não aceitei o sorvete pq ja tinha tomado no restô que jantamos (que, alias, foi a melhor sobremesa que ja comi na França!). E não, irmão, eu não sou mùais bonita hj do que antes, eu tô uma bolinhaaaa, engordei 4 kg! snif. Sobre escrever em papel e ganhar algum dinheiro com isso, ah! um sonho ne? quem sabe um dia algum editor não cai por aqui e me convide, ne? te amo!

Oi Flavia! Que ruim isso de mexerem nas suas malas! Mas acho que isso pode acontecer em hoteis tb, tem gente desonesta em todos os cantos né? Eu e o Léo, não importa onde vamos, sempre deixamos as malas trancadas ao sairmos do quarto, sempre! Melhor prevenir, né?

Que legal esse site, Juliana! E a cidade parece fofa tb, vc conhece? Se eu for pra la um dia vou ficar nessa casa franco-brasileira com certeza. Nunca perco a oportunidade de sentir o gostinho da nossa culinaria. Obrigada pela dica!

Beijocas!

Juliana Beaup disse...

Mirelle,conheço muito hehehehe, to sempre por la, a cidade do meu sogro nao tem nada mas ao lado tem Provins, cidade Medieval onde rola uma festa anual super fofa, ainda nao fui mas conheço muita gente que foi e adorou.....senao tem o Vaux le Vicomte......castelo lindissimo que custou a cabeça de Nicolas Fouquet por "inveja" do Louis XIV, ele era ministro das finanças.
Os clientes do meu sogro geralmente sao pessoas querendo um fim de semana na campagne, ou querendo conhecer a cozinha da Sueli que é deliciosa.....fora quem vai pra aproveitar a Disney, que nao é ao lado mas nao é tao longe.....uma maneira de ficar perto de Paris mas com outro paysage num clima mais relax e familiar! bjos

nestor jr. disse...

Vou repensar as proximas viagens. albergues x chambres d'hotes. ;) Legal as dicas.

Minny disse...

OiMirelle..adorei o blog!!
Eu estou pensando em ir à Paris,mas muitas pessoas estão me desanimando dizendo que os franceses não irão e tratar bem.Não tem uma pessoa que me fale coisas boas em relação à isso!Então,se você puder me esclarecer,como é o tratamento dos franceses em relação aos turistas,principalmente m mulheres...Acho que estou ficando paranoica,por isso é necessário saber!!
Obrigadaa!!

Mirelle Siqueira disse...

Oi Minny! Olha, a fama dos parisienses é braba mesmo, mas nem de longe a antipatia deles deve ser motivo pra vc não conhecer Paris, a cidade mais linda do mundo! E mais, quem trabalha com turista (e geralmente são essas pessoas com quem nos relacionamos quando viajamos) falam inglês e fazem o maximo para ajudar. Eu so encontro gente simpatica atendendo em Paris, até pq a graaande maioria é estrangeiro, imigrantes que precisam garantir o emprego. Acho essa opção de reservar um quarto na casa de alguém é super indicado no seu caso, pq as pessoas que se dispõem a alugar quartos em suas casas, são pessoas que querem, que buscam se relacionar com turistas, então são geralmente bem mais simpaticas. Além disso, como eu ja disse no texto, vc nao fica isolada em um hotel, vc podera ver de perto alguns habitos franceses. bom né?

espero ter ajudado! bjo!

Liana PEssoa disse...

Olá, to amando seu blog! Mas ainda estou com uma dificuldade imensa em escolher um lugar p ficar! Adorei a dica da casa do Phillippe, mas em relação a estação TGV achei muito longe. Não sei se o Google Earth mostrou corretamente.

Anônimo disse...

Eu, meu marido e filhota já nós hospedamos duas vezes em chambres d'hotéis e amamos! A primeira vez em Lourmarin, na Provence, e na ultima viagem em Montrichard, no Vale do Loire.
Realmente essa opção e muito gostosa!
Amei o post!
Ab
Cinthia.

Leia também:

Related Posts with Thumbnails