quarta-feira, 2 de novembro de 2011

A arte de bater-boca como um francês

Não é segredo para ninguém que os franceses adoram bater o pé para reclamar. Também gostam de discutir por qualquer motivo e não abrem mão de bufar. Sim, os franceses bufam. Bufam quando são contrariados, bufam quando acabam as baguetes da boulangerie, bufam porque ja estamos em novembro e a temperatura ainda esta agradavel. Eles bufam por tudo e, acima de tudo, eles bufam por nada. Quando cheguei aqui, eu achava engraçadinho (afinal, ver adultos se comportando como crianças mimadas tem a sua dose de graça), depois passei a achar irritante e hoje eu ja acho normal, talvez porque eu tenha aprendido a bufar também. Não tem jeito, é uma esquisitice coletiva que você adquire com o tempo. 

Acontece que bufar é facil, basta soltar um "pfff" discreto e dar uma viradinha nos olhos para que todo mundo entenda que você não achou tal coisa legal. A bufada é a maneira mais facil de se fazer entender em terras gaulesas, ainda que você seja um estrangeiro. Dificil mesmo é aprender a bater-boca como um francês. Porque bater-boca não é isso ai que você esta pensando, não é sair gritando com o entregador porque a pizza chegou com uma hora de atraso, não é usar palavrões para xingar o motoqueiro que deu uma encostada no seu carro. Bater-boca, meu amigo, é a arte de colocar para fora toda a raiva que você esta sentindo, elevando levemente o tom da sua voz -sem gritar- e conseguir, assim, humilhar o seu adversario sem o uso de palavrões ou termos discriminatorios. E essa arte, anota ai, quem domina são os franceses.

Foram precisos dois anos convivendo com eles para aprender a distribuir pequenos coices eficazes. Digo coice porque patada é para os fracos, francês da é coice mesmo. Ja tomei coice de garçom, de professor, de vendedora e até de pipoqueiro! So que de uns tempos pra ca, eu comecei a revidar. A minha primeira vitima foi um vizinho folgado que sempre bate à nossa porta para reclamar. Toda vez é o Léo quem o atende, prometendo que vamos parar de fazer os barulhos que a gente ja não faz. Sabado passado quem abriu a porta fui eu:

- Bonsoir, madame, vocês estão fazendo barulho demais...
- Barulho? Que barulho, monsieur? 
- Andando. Vocês pisam muito forte.
- Ah, pois é, mas é assim que a gente anda. (detalhe: estavamos deitados no sofa vendo um filme)

Entrei no jogo dele. Não bati a porta, não fui grosseira, mas também não fiquei calada como fiz todas as outras vezes que um francês me chamou à atenção. Discuti de igual para igual, como eu faria se estivesse no Brasil. E ainda nos desejamos boa noite ao final da discussão - o toque de finesse que deve existir em todas as engueulades (que na verdade é o que diferencia um bate-boca brasileiro de um francês).
 
Vendo que eu era capaz de me comportar como eles, decidi não levar mais desaforos para casa. Confrontei até o motorista de ônibus que não parou no meu ponto para eu descer. O que eu faria uns meses atras? Xingaria mentalmente o cara, desceria calada no ponto seguinte e caminharia até a minha casa me odiando por não ter tido coragem de perguntar por que diabos ele não parou. Pois hoje eu bufei, caminhei até a frente do ônibus e perguntei se ele não tinha visto o meu sinal. Dei de cara com uma Mirelle que eu achei que tivesse ficado no Brasil, uma Mirelle justa, questionadora e, agora, chiquérrima - porque também sabe bater-boca em francês.

55 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

Passeando pela blogsfera cheguei até o seu blog Mirelle.

Depois de passar por situações assim aprendi a não levar mais desaforo para casa.

Fica aqui o convite para conhecer o meu blog, será um prazer te ver Pelos Caminhos da Vida.

beijooo.

Julie disse...

Este ano vi uma francesa bufando muito no aeroporto de Paris, quando descobrimos que nosso vôo foi cancelado. Ela estava irada, reclamava com um ardor que dava pra ver o sangue nos olhos. E nós, brasileiros, que sempre acabamos rindo das situações, estávamos sendo todos odiados por ela!!! E como ela bufava!

Lis Alves disse...

Parabéns menina chique,kkkkkk.
Está certa, eu sou assim, reclamo mesmo, porque quem não fala não é atendido.
Beijos

Daniel disse...

Parabéns por revidar e bufar, ou bufar e revidar hehehe

Leonardo disse...

Amor,

Pra mim o prazer que os franceses sentem em bufar e reclamar é comparavel com o que o brasileiro sente em falar de futebol. Hoje mesmo meu chefe passou a tarde inteira bufando por causa de um problema besta que ele so quis resolver no final do dia, provavelmente pra ter o prazer de passar a tarde toda bufando e reclamando.

Fico orgulhoso que agora mesmo em francês vc é a mesma Mirelle que era no Brasil.

Bjim

Miller Manteiga. disse...

Você é demais, sério. Ri um pouquinho, mas acho que sei do que você tá falando.
Quando morei na Espanha, discutia sempre com os meus professores, principalmente por não saber muito da língua durante os primeiros meses, mas lá a situação é diferente, lá eles falam alto - igual aos italianos - e batem boca pra valer!
Mas eu também não fico pra trás, antes eu discutia com todos os palavrões na ponta da língua, mas hoje, hahahaha, discuto levantando levemente o tom de voz e ''destruindo'' o adversário sem perder a compostura nas palavras. Não tem coisa melhor né?
Beijo Mi.

Gabriela disse...

escrevendo no blog! conseguiu um tempo no mestrado?
sei bem o que é essa história de bater boca finamente em francês! quando eu estava em Paris e discuti em francês uma vez, meu namorado ficou super orgulhoso com o meu avanço na língua francesa!

S. W disse...

Mirelle o meio influência muito mesmo. Nem sempre da forma como.gostariamos. quando morei na Dinamarca, eu achava as pessoas tao mau humoradas, o tempo todo, incrivel, desde o caixa do mercado, os pedrestes, oS vizinhos... Ninguem se quer te da um bom dia se vocês nao se conhecem muito bem. Depois de alguns meses, eu agia igualzinho. Mas eu so motéis isso quando amigos de outras nacionalidades comentaram. Aqui na Holanda, tenho uma vizinha igualzinha o seu. Algumas vezes estamos deitados, mas ela bate na porta reclamando do batulho, eu nunca atendia a porta, mas meu marido tem um pouco da finesse francesa. Beijao

Ana Luiza (blog pelomundo.org) disse...

Que maravilha! Gostei do post e de que agora é o negócio é mais embaixo. Os franceses que se cuidem!! Essa é a parte boa quando somos estrangeiros. Conseguir se defender e não deixar que os nativos façam com a gente o que quiserem. Parabéns pelo francês e pela volta da Mirelle que tinha ficado no Brasil. Eu também quero ficar assim aqui na Suíça. O dia que conseguir me defender em alemão, te conto. Beijos
PS: adorei o toque de finesse ao desejar boa noite para o vizinho! :)

Milena F. disse...

Vc já deve ter ouvido esse ditado francês: "trop gentil, trop con!". Pelo que percebo, francês (geralmente) não leva desaforo para casa e responde na mesma moeda.
Mas tem outras coisas que eles não consideram "desaforo" como nós brasileiros e não reclamam. Vai entender?

Mirelle Siqueira disse...

Ola moça do "pelos caminhos da vida"! Obrigada pela visita, jaja eu passo la pra conhecer o seu blog.

Ei, Julie! Aposto que o barraco era fino, não era não? ;)

Isso, Lis! Finalmente criei coragem para me fazer entender!

Pô, Daniel, brigada! hehehe

hahahahah. Não duvido, viu amor? Você é que deve estar com medo agora que eu sei que posso comprar aqui na França as brigas que eu comprava no Brasil. Uma hora seu telefone vai tocar pra te avisar que tô la na delegacia esperando você ir pagar a minha fiança...

Miler, eu soube que os espanhoie ssão muuuuuuuuuuito barraqueiros! os italianos eu sei que são pq na minha turma tem varios e eles vivem discutindo alto, é até engraçado. Mas é como você disse, conseguir não se deixar ser humilhado pelo outro é sim um meio de defesa e quando a gente mora fora, falando otra lingua, chegar ao ponto de se manter igual ao seu interlocutor é um passo e tanto!

Oi Gabi! Que estudando que nada! Eu tava era sem boas historias pra contar mesmo. As provas ainda não começaram, então esta dando pra respirar. O Leo tb ficou de boca aberta quando me ouviu falando com o vizinho. Voltei pro sofa e ele disse: "acho que agora esse cara vai demorar um bom tempo pra voltar aqui!" rs

Pois é, S.W, a gente acaba, mesmo sem querer ou pereber, adquirindo esses habitos coletivos. Eu mudei muito depois que cheguei aqui, mas muito mesmo. Alias, isso da um post! (ps: manda essa vizinha chata ir catar coquinhos!!! educadamente, claro!)

Ana Luisa, é beeem isso. Eu acho que nem soube explicar muito bem no texto, mas o fato de conseguir discutir com alguém é sinal de que eu domino melhor não so a lingua, como a cultura deles. Eh importante saber até onde você pode ir, que limites não atravessar (até pq ngm aqui que ir parar na cadeia né?). e não tem jeito, essas coisas so chegam com o tempo, depois que a gente observa e aprende muito. Depois da discussão com o motorista eu cheguei em casa feliz, orgulhosa de mim mesma por ter me comportado exatamente como eu me comportaria no Brasil. Sei la, me reencontrei e foi lindo! heheheh

Reclamar todo povo reclama, né? Acho que uns mais, outros menos. O que eu gosto é da maneira como os franceses fazem isso. Acho que no Brasil somos um pouco mais barraqueiros. Ja vi muito bati-boca por aqui, mas ngm xinga ngm, pelo menos não nessas discussões bobas de supermercado, vizinhos, trânsito. Fiquei contente de ver que eu atingi o nivel de finesse desse povo, Milena! hahahah (teu marido não sabe as coisas que eu escrevo aqui não né? ele vai ficar de cara feia pra mim no domingo?)

Muitos beijos em todos!

Anônimo disse...

Gente, preciso fazer um intercâmbio na França!!

Sou péssima pra revidar, tem que me tirar muito do sério. O duro é que fico com raiva de mim mesma por deixar as coisas passarem.

Na verdade, acho que eu tenho medo da grosseria do outro, vai que recebo um vai praquele lugar? Não saberia nem o que responder.rsrsrsr
Um beijo
Cida

Cientista Mae Mulher disse...

Oi Mierelle,
aki na Alemanha tem nada de finess vc tem logo que falar alto e grosso sem um pingo de educacao. Eu me considerava sem educacao mas depois cheguei aki cheguei a conclusao que sou é fina demais. Eta povo "Mal c**ido!!!!

Ana Paula Bertarelli disse...

Me identifiquei um pouco, eu bufo! hahaha. Mas pra não fugir à regra dos parentes espanhois e italianos, eu falo alto pra kct. Bufo e falo alto (quando não grito). Acho que preciso passar uma temporada aí.

K∂riиє* Smith. disse...

Mi, gosto mais do jeito dos franceses, acho mais fácil conviver com quem é grosso do que com quem é duas caras como os irlandeses, que na sua frente te amam e por trás adoram criticar.

Aqui na Irlanda eu é que tenho que tentar me policiar para não matar o rosinha de vergonha com a minha arte de reclamar....

Anônimo disse...

kkkk...estou dando risada de tua descrição tão PERFEITA de uma bufada francesa ou mesmo do bate boca...meu noivo é francês e realmente nunca vi ninguém capaz de humilhar tanto outra pessoa sem gritar e sem palavrões...mas ele vai fuuuundo nas entranhas da pessoa...e o outro fica calado...e cooooomo reclamam meu Deus...kkk...c'est la vie!!

Beijos et Bisous
Angela QFC

Adriana Pessoa disse...

Mirelle,
não consigo..hahaha...parar...hahaha.de rir...adorei este post!!!
Estou aqui imaginando cada cena!
Bjs.

Cristiane A M disse...

Formidável, pode fazer mais transcrições desses "diálogos", isso não se aprende na Aliança, não, mas é fundamental prá sobreviver na real! rsrs

Milena F. disse...

Mirelle, difícil deixá-lo com cara feia!!! Até hj nunca o vi olhar atravessado para alguém! Pode aproveitar para arrancar algumas informações sobre os franceses, mas se for escrever no blog, usa um pseudônimo, please!

elizabeth guttler disse...

mirelle fiquei muito feliz ontem quando entrei no treze anos depois e tinha uma mensagem nova e que mensagem tadinho dos franceses estou ficando com pena deles bom o que eu queria falar e que a julia vem no dia 25 de novembro e fica ate 04 de janeiro se voce estiver aqui a gente pode combinar o tal encontro com os cariocas leitores agora tenho uma amiga portuguesa no facebook que mora ai em lyon tb um beijo boas aulas vai com calma beth

Tania Ziert Baião disse...

Adorei!!!! É isso mesmo! Você só é realmente merecedora de um lugar quando incorpora suas manias!
Parabéns pelo texto!

Vanessa disse...

Tem certeza que só os franceses sabem dar coice com elegancia??
não tem nenhum conhecido aqui no Brasil que faz isso com uma puta classe??
e eu não to falando de mim, e nem da Paulinha...
hahaha

Mr. Lemos disse...

Irmã, verdadeira vc sempre foi. Nunca te conheci engolindo sapo. Só faltava essa pitadinha de fineza aí pro negócio ficar mais bonito. Tô até imaginando o pobre do vizinho arrependido por ter dado de cara com vc... hehehe.
bjao

Jorge Fortunato disse...

Eu já bati boca com um recepcionista de hotel em Strasbourg... quanto mais cínica era a resposta dele, mais eu o questionava e ele ia ficando mais irritado. Mas o clima ficou muito tenso, pois sou ariano. E certa vez, em Paris, não chegou a ser um bate-boca, mas uma resposta á altura da rabugice da funcionária do correio. Eu queria enviar dois cds para um amigo na Bretagne e comprei um envelope que era mais indicado para enviar livros. Anotei endereço etc e tal. A funcionário pegou o pacote, deu aquela bufada trágica e disse: "ah essa embalagem é pra livro..." Eu respondi: "Et alors??? Ela não disse nada, e fez a postagem. Meu amigo recebeu os cds alguns dias depois sem problemas.
E vc fez muito bem de ter tomado essa atidude.

Mirelle Siqueira disse...

hahahaha, como vc é ma, Van! mas aquilo não é classe, é sarcasmo... um pouco diferente, pq os franceses são bem diretos no que dizem, mas fazem de uma maneira mais elegante.

Tipo o Ernani ai em cima que usou a palavra "verdadeira" ao inves de "direta" ou "grossa" pra me definir. Sacou a diferença?

Amo vocês dois, muito!

Mirelle Siqueira disse...

Pois aqui é dificil um bate-boca terminar com alguem te mandando ir praquele lugar, Cida. A unica coisa que me impedia de discutir com eles era a lingua mesmo, mas agora.... rs.

Oi Cris! Conheço essa fama de grosseiros dos alemães, então é mesmo verdade ne? Ah, mas por um lado é melhor, não? Prefiro gente assim que a falsidade dos brasileiros, ou dos irlandeses como contou a Karine ai em cima. Tenho pavor de gente que nao fala o que pensa, aff!

Oba, Paulinha! Você por aqui! Eh verdade que vc, assim como eu, não tem muita paciência e estoura facil. Se viesse pra ca ia aprender a brigar com o Cris toda trabalhada na finesse! heheheh, vem, vem? vem logoooo!!

Pode deixar que eu não vou encher muito o saco dele não, Milena! Vou pegar leve! ;)

Ei, Beth! Que bom que vamos estar todas pelo Rio no final do ano. Vou sim tentar agitar um encontro do blog, mais pra frente eu aviso tudo por aqui ta? :)

Hum... não sei se concordo 100% com a sua teoria não, Tania. Estou longe de ter incorporado 100% as atitudes franceses, graças a Deus! Espero que eu nunca me torne seca e fria como a maioria deles e que eu tb não desaprenda a tomar 2 banhos por dia, alem de outras coisinhas. Em muitos sentidos eu prefiro é permanecer brasileirona mesmo! Mas é verdade que uma vez que a gente entende o porquê do comportamento de uma sociedade, a gente passa a conviver com melhor com ela.

Hahahah, ri muito com o seu "et alors?", Jorge! Passei a cena aqui na minha cabeça e morri de rir! Mandou muito bem!

muitos beijos em cada um de vocês que vieram bater um papo comigo!

Mirelle Siqueira disse...

Oi Angela! So não vai deixar o seu noivo aplicar essas tecnicas com você hein? se ele tentar, sai logo rodando a baiana pra cima dele, de uma maneira bem brasileira mesmo! ;)

Êeee dona Adriana Pessoa, rindo da desgraça alheia, é? ok, foi engraçado. ri, vai! rs

Por falar em "isso nao se aprende na Aliança", vc sabe que eu falo como uma velha aqui na França, Cristiane? Eh, porque nas escolas de lingua a gente aprende o frances certinho, nao a linguagem do dia a dia, o familier. Então é foda mesmo, so convivendo com os amigos pra entender as expressoes, as girias. Eu sofro, viu? rs

beijos, meninas!

Anônimo disse...

Achei o maximo! então até p discutir eles têm finesse! eu prefiro do q o barraco. Embora vc estranhe mtas coisas aí (o q é normal), lembre-se q aqui (Br) há muitíssimas coisas pessimas!!! tb detesto o fingimento,a superficialidade,o interesse das pessoas aqui. E a violência? hoje em plena 19hs ( dia claro ) andandando perto do meu apto. levaram a minha bolsa c tudo,tudo dentro. Ainda PEDI (quer mais humilhação? ) q levasse só o dinheiro e deixasse documentos,óculos de grau,chaves,cartão do plano de saúde,mas imagine!!! fiquei mais de 3 hs p bloquear cartões de crédito,de saque e com a polícia q nada resolveu. E eu moro no interior de S.P. Ptto, querida agradeça por aí estar, mmo c todas as bufadas!...
Abçs

Anônimo disse...

Achei o maximo! então até p discutir eles têm finesse! eu prefiro do q o barraco. Embora vc estranhe mtas coisas aí (o q é normal), lembre-se q aqui (Br) há muitíssimas coisas pessimas!!! tb detesto o fingimento,a superficialidade,o interesse das pessoas aqui. E a violência? hoje em plena 19hs ( dia claro ) andandando perto do meu apto. levaram a minha bolsa c tudo,tudo dentro. Ainda PEDI (quer mais humilhação? ) q levasse só o dinheiro e deixasse documentos,óculos de grau,chaves,cartão do plano de saúde,mas imagine!!! fiquei mais de 3 hs p bloquear cartões de crédito,de saque e com a polícia q nada resolveu. E eu moro no interior de S.P. Ptto, querida agradeça por aí estar, mmo c todas as bufadas!...
Abçs

Anônimo disse...

Esqueci de dizer q já é a terceira vez ,as outras foram à mão armada e numa levaram o carro. São raríssimas as pessoas q não foram. Dá p viver assim???

Abçs

celso disse...

Acompanho seu blog, periodicamente há algum tempo, adoro seu jeito de escrever.

Quando morei na França, em duas ocasiões, há alguns anos, aprendi exatamente a mesma coisa... Parece que a França vai te deixando mais "bravo", mas você aprende a revidar as coices com a devida "finesse", como você disse, sem alterar o tom da voz, e ainda dizendo um "bonne journée" no final, mesmo que você e a outra pessoa, ambas, estejam se olhando com aquela cara de c*, morrendo de raiva por dentro... Até um sorrizinho falso ainda é capaz de sair em certas situações no final da discussão, um tipo de "simpatia" denotando ironia e antipatia ao mesmo tempo, não sei explicar, mas entendo totalmente tudo o que você escreveu...

Como já trabalhei em recepção de hotel aí na França, e, você imagina, já tive de aturar vários coices de hóspedes, no início era mansinho, educado como a gente aprende a ser no Brasil, cliente vem sempre em primeiro lugar e tal... Mas fui aprendendo com as reações dos colegas como revidar as patadas e coices gentimment e caprichar no "R" final do "Au Revoir", só pra fazer mais raiva.

Mas, cá entre nós, tem muitos franceses (e estrangeiros também, me incluo nesse meio, quando estive aí) que já acordam de mau-humor e pelo jeito que falam o "Bonjour" e te olham (ou pelo jeito que você sabe como dizer Bonjour e encarar a pessoa) você já sabe que é melhor ficar quieto e não encher o saco! Francês é mestre nisso, inclusive em ensinar o modus-operandi da coisa! hehehe

Enfim, esse post me fez lembrar de coisas engraçadas, de uma França que não sinto saudades e ao mesmo tempo que dá saudades, vai entender...

Parabéns pelo blog!

Um abraço!

Fernanda Ornelas disse...

Oi Mirelle adorei esse post!!! Muito engraçado!!! Vc escreve cm tanta perfeição que é como se eu visse ate a cara do seu vizinho rsrsrs. Meu marido (francês) e minha filha (metade francesa rsrsr) tbm bufam e eu morro de rir. Mas é verdade que tem hora que irrita! No inicio eu escutava os coices calada, mas com o tempo aprendi. Hoje é "TOMA LA DA CA"!!! O povinho mau humorado!!!
Beijos

Patricia disse...

kkkkkkkkk....
Mirelle, foi muito bom tudo o que vc escreveu. Realmente é assim que eles se comportam. Eu tb sinto a vontade de fazer a mesma coisa, de saber contestar na maior classe. Mas ainda preciso falar mais francês. Ainda chego lá.
Abraço.

Mirelle Siqueira disse...

hahaha, é isso mesmo, Celso! Chega uma hora que a gente aprende a distiguir os "bonjours" e so pela voz da pessoa ja da pra saber se ta de mau humor ou não. Que bom que você saiu da toca, apareça sempre!

Oi Fernanda! Você tava sumida, moça! Sua filhinha ja bufa? Mesmo? hahaha, que fofa!!! Você ainda não pegou essa mania não? Pq eu bufo tb, e muito!!! Qualquer coisa pra mil agora é "pfff", hahahaha.

Observe, Patricia! Observe bem a maneira como eles falam, os movimentos do rosto, da mãos e até as expressões nos rostos dos franceses. Foi engolindo muito sapo e observando tudo que eu aprendi a fazer como eles! hehehe. boa sorte!

Beijocas, meninas!

Patty disse...

Do jeito que sou esquentada, ia demorar um bocado para eu entrar nessa finesse toda aí, mas gostei da classe Mi!
Agora o lance da bufada é real. Tinha uns amigos franceses que pareciam até madame, de tanto que bufavam. Cruz credo!
Mas é isso aí, mete a boca no trambone, sem perder a classe, é claro :)
Bjokas!

Vanessa à Paris disse...

Mirelle, ja vi divesos bati bocas. O que deixa eles fulos e me deixa tb e o cara começar a te tratar por tu em vez de vous.
Adoro a frase: On n'a pas gardé les cochons ensemble.
Caso voce nao saiba, seria de uma maneira simples p dizer q vc nao pode me tratar por tu :P
Que intimidade é essa?
Ja ouvi isso tanto em bate boca q hj em dia sou capaz de soltar a mesma.

Fernanda Ornelas disse...

To sumida nao tenho lido seus posts na correria... Como Maria Giulia esta na escola, tem que levar , busacar 12h, levar novamente e buscar a tarde. Ai entre um horario e outro é o tempo de fazer as coisas em casa, compras etc...vida de Dona de Casa da trabalho!!!! Nao preocupe que nao te abandonarei assim tao facil nao rsrsrsr Beijos! Vou te mandar uma fotinha dela pra vc ver como ela cresceu!

Mirelle Siqueira disse...

Hahahah, pq pareciam madame, Paty? nao entendi! madame bufa mais do que os outros, é? hehehe

Oi Vanessa! Essa dos cochons é importante mesmo saber, mas eu tava falando das discussoes que nao chegam de maneira alguma no "tu". pq eu acho que quando chega nesse ponto, ja vira bate-boca brasileiro mesmo, um nivel abaixo. acho lindas as discussoes francesas onde o "vous" é mantido o tempo todo, essa frieza de conseguir humilhar o seu desafeto chamando o dignissimo de senhor e tals... lindo, lindo!!! hahaha

Ai que filhota linda a sua, Fernanda! Adoro você me mandar as fotos dela pra eu ir vendo como ela ta ficando cada dia mais linda! Obrigada pelo carinho!!

Beijos!

Depois dos 25... disse...

Gente!

Eu não sabia dessa delicadeza francesa! A maneira como você colocou foi fantástica como sempre! Sempre bom ler como você encara os fatos...

Beijos!

Depois dos 25... disse...

Meu recado entrou? Fiquei na dúvida, deu erro, rs.

Jonas Vasconcelos disse...

auhUAHuahUAHuahu Mirelle, vc conseguiu descrever exatamente o q eu já tinha percebi. Mas ainda não aprendi revidar. Acho q é da minha natureza tentar amortecer o "tapa" q sempre levo na cara. Sou da paz! Meu lema é: se levo tapa, eu dou um beijo de volta. ACho q assim podemos construir uma relação melhor com um mundo, mesmo q seja somente no meu mundo. Olha, já vi discussões pesadas além das bufas. Nesta semana, quando peguei o metro com Lívia, vi uma senhora com o carrinho de bebê tentando sair do vagão, mas não entendia o porquê do tranco. Na saída, seguindo o meu caminho, olho de lado e vejo uma francesa gritando q nem louca com a mulher q levava o bebê no carrinho. Ela pedia paciência, mas de uma forma louca! Só faltava estapear. O q eu achei engraçado era ela pedir paciência à mulher, q provavelmente a pisoteou com as rodas do carrinho, sendo impaciente.
Essas e outras intolerâncias me deixa às vezes preocupado, senão com medo.

Patty disse...

Ah Mi, pq ficavam que nem aquelas madames olhando torto e bufando, sabe? Aquele tipo de coisa que parece que nada tá bom e já faz cara feia? Eu hein! rs

Se bem que tem horas que eu dou uma de madame! Aff! hahahaha

Kity disse...

Mi, quanto tempo não venho aqui.
Mas vou comentar rapidinho. Primeiro parabéns por cada dia trazer mais de vc para o vc francês hihihi
E sobre o seu vizinho, acho q se me pegasse em um dia como hoje, pegava o sapato de salto e ficava andando de um lado ao outro da sala, só p ele ver a diferença de barulho!
Bjs p Leo e p vc
Ah, só essa semana tive coragem de usar um dos meus lindos sabonetes =)
Bjs

BEE disse...

Oi Mirelle..

Adorei o seu blog e matei as saudades da França...estou meio depre pq faz 1 ano que voltei...adorei os seus posts e suas fotos do casamento ficaram incríveis! Parabéns!

Estarei acompanhando e participando sempre que possível..

Bjo

Grazi disse...

Mirelle,
Respondi o seu comentário sobre sugestões de sorteio no twitter, viu !!! kkk
Outro dia vc postou um sobre um programa de decoração que vc assiste, então eu te perguntei qual era o nome do programa mas vc não respondeu (acho q vc não viu). Se vc puder me responder...
meu twitter é @grazymunhoz
bjs.

Juliana Yonezawa disse...

hahah lendo esse post lembrei de quando vc bateu boca (em ingles) com o cara da lojinha de gifts por causa do preco errado!!

É muito bom mostrar que vc nao vai engolir as coisas só porque não é da terra deles!!

beijo

Mirlene disse...

Filha,

Bufar em frances é o fim da picada. Pensar que eu achava que minha filhota seria menos brava convivendo que os finos franceses! Agora você me conta que sabe bater boca em francês? Essa vou ter que ver para dar muita risada ou bufar junto com você como fizemos no shopping em Udi? Lembra? Parabéns, cada dia seus textos são mais bem elaborados! Que orgulho!

Darlana Godoi disse...

Hahaha, bufar em Francês é tudo de bom... Bufar em qualquer língua é chiquérrimo, bater boca então nem se fala... Isso é o que chamo de integração! Adoro ler você!

Monica disse...

aiai ! Não sei por que os franceses são tão mal humorados!

Merielly Muzi disse...

Bonjour Mirelle!
Ha tempos acompanho seu blog! E particularmente, 'il est SUPER'... Vc expressa de uma maneira que é impossivel discordar, é praticamente tudo o que eu tenho visto e vivido nesse Hexagono! Estou morando no Nord desde janeiro deste ano, e n demorou muito em encontrar alguem q pudesse ' compartilhar' das mesmas opinioes; resultado ja li todo seu blog!
Qto essa stuçao de 'bufar' é de fato engraçado, et por uma proeza colocar uma francesa em seu lugar. Ainda estudo o Frances p estrangeiro, mas as secretarias da escola parece n ter a polidez e paciencia em lhe dar com estrangeiro. Sem quere pedir socorro ou falar em ingles, com meu A2 tive que enfatizar q precisava do meu recibo e dizer q estava calma q era p ela ficar calma tb _ salientando q ela estava ja discabelando q n poderia atender meu pedido, salvo q ela ja estava atrasada com esse dever - resultado n ia sair da sala sem ser atendida... Bof!
Eh isso mesmo 'bof'... E qdu q 'quase chara' n tem novo artigo qdu eu abro o blog, eu/ Bof rs
Nao poderia deixar de demonstrar admiraçao pela sua Linda histôria de Amor!!
(desculpa os erros/ tcl frances}

Anônimo disse...

Se o que eu escrevi aqui aparecer no blog,EU CONSEGUI fazer um comentário com sua ajuda Mirelle!
Obrigada por responder meu email e mais uma vez adorei o seu passeio à Londres bem como testemhunhar o carinho que vocês tem pelo "Pai da Chiquinha" e vice versa.

Luiza Nogueira disse...

Oi mirella,
depois de 8 meses acompanhando seu blog,finalmente estou deixando um comentario.
Primeiro pra dizer que adoro seu blog e ele foi muito importante para mim.Pesquisando sobre Lyon,minha amiga achou seu site e passou para mim.Foi amor a primeira vista,logo passei seu blog,para a minha mãe,para a minha sogra,meu namorado e até minha vozinha,TODOS adoraram.
Eu e minha amiga estamos fazendo intercambio de engenharia no INSA aqui em Lyon. Sempre procuramos olhar no seu blog os restaurantes os mais recomendados por vc para podermos conhecer,os lugares que vc visita tb sempre ajuda na hora de decidir pra onde vamos nas proximas férias,ou pelo menos no colamos na lista de lugares a conhecer antes de voltar ao Brasil.
Ah,vc pode tirar uma dúvida minha? Eu moro no Pará,e lá vai ter uma votação sobre a divisão do estado.Acho que terei que justificar,mas como farei isso estando aqui?
Obrigada por ter um blog tão gostoso de se ler ^^

Luiza Nogueira

Taís Coelho disse...

Sem comentários...AMEI o post!!!! Ri demais imaginando as cenas!!

lilly disse...

meu pai esteve na frança em outubro e achou todos muito mal educados.
ahhh ele tb percebeu que quando comprava 4 itens se nao verificasse levava 3!
bjs
lilly
coisadelilly.wordpress.com
e
blogdareforma.wordpress.com

Carla Conatti disse...

Se bem te conheço acredito que o cinismo foi a arma da discusão.
bjs

Leia também:

Related Posts with Thumbnails