domingo, 29 de abril de 2012

A França nas mãos da extrema-direita

O Léo ja começou a ser francês do jeito errado. Conseguiu a cidadania, mas não se inscreveu para votar nessas eleições. Tudo bem, ele não teria muitas opções de voto mesmo.

Passado o primeiro turno, aonde o direitista e atual presidente Nicolas Sarkozy ficou menos de 2 pontos atras do socialista François Hollande, as atenções se voltaram para a xenofoba Marine Le Pen. Foi ela a surpresa da apuração, ficando com quase 20% dos votos. Esses eleitores são fundamentais para eleger Sarkozy ou Hollande no segundo turno, que acontece no proximo dia 6, e é por isso que os dois estão nesse momento mendigando os votos do partido mais racista da França.

Somando os votos de extrema-direita com os de direita (sem nem considerar os que foram para o Bayrou, candidato do centro), temos quase 50% do total. Metade do eleitorado votando em partidos que so falam em fechar fronteiras. Dai eu falo que ser estrangeiro na França não é facil e tem gente que ainda pergunta o porquê. A explicação para esses votos é muito simples: a tal da crise. Ha quanto tempo ouvimos dizer que a Europa esta em crise? Quando falta emprego, a maneira mais rasa de justificar os problemas é culpando a imigração. Ja foi provado que os imigrantes que estão hoje na França trazem mais dinheiro para os cofres publicos do que gastam, mas quem é que acredita?



O que se viu nessas eleições foi uma mudança no perfil de quem votou no Front Nacional, o partido da Le Pen. Até então quem votava FN era racista, separatista, todos os istas negativos existentes no mundo da politica. Hoje não são apenas essas pessoas que votam FN. Imagine, você chega em casa e vê o seu marido/filho/pai procurando emprego sem conseguir nada, conversa com os seus amigos e muitos deles estão na mesma situação. Dai você sai para espairecer e no metrô escuta todas as linguas do mundo, menos a sua, que é o francês. Do outro lado esta a midia, te massacrando com os numeros altissimos de imigração. A associação é inevitavel, embora incorreta.

Basta conhecer um pouquinho de Historia para saber que ela é ciclica. Uma outra crise, a de 29, também colocou no poder da Alemanha um cara com um discurso meio surreal e que, a principio, ninguém levava a sério. O que aconteceu depois todo mundo sabe. 

Preciso dizer que ver eleitores de diferentes paises da Europa procurando abrigo nas asas da extrema-direita me da medo. Hitler so chegou ao poder depois de quase 20 anos na politica, vale lembrar. Ele foi crescendo aos poucos, se apoiando no desespero de uma população submersa numa crise mundial. Um cenario muito parecido com o de agora. O que me faz questionar: Se em 2012 Marine Le Pen teve 18% dos votos, quantos ela tera nas proximas eleições? Porque, não importa qual dos dois seja eleito, em cinco anos a França não voltara a ser a terra prospera que ja foi um dia. E eu, imigrante que sou, preciso me preocupar.


47 comentários:

Leonardo disse...

Amor,

Ver o Sarkozy insistindo em dizer que não fara nem aliança nem concessão alguma para seduzir eleitores do FN ja é ridiculo, visto a sua linha de campanha, mas ver o Hollande tentando convencer eleitores de extrema direita a votar na esquerda não deixa de ser comico.

Tudo se pode em época de crise, até o impensavel!

Que vença o mais humano!

Bjim

Débs disse...

confesso que também estou com medo!

Lizzie disse...

Não é só ai, os EUA também estão a beira de um governo Tea Party ultraconservador que mira exatamente nos imigrantes. Acho que as crises ofuscam a visão das pessoas, e sempre é mais fácil procurar culpados nos elementos que nos são estranhos do que buscar formas de sair delas.

Glenda Dimuro disse...

Isso infelizmente já é uma "tendência" de toda Europa. Aqui na Espanha tb ganhou a direita. Não está atingindo os estrangeiros diretamente, mad acabou de aprovar uma nova lei do sistema sanitario que proibe atendimento de ilegais fora das emergências, alegando que quer acabar com o turismo sanitario. Esquece que esse tipo de paciente tem sobrenome inglês, não latino e africano. Isso é condenar a morte não apenas uma grande parcela da população de fora, mas os proprios espanhois, que já aqui tem mais casos de tuberculose e meningite da Europa.. Melhor fazer um post sobre isso!

Thais Lombardi disse...

Nossa, eu estava pensando nisso dias atrás, ia viajar para a França, mas devido as eleições preferi deixar para depois. Tenho um certo medo de período eleitoral,(pelo fato de ser funcionária pública, sei como a galera fica exaltada nessa época)com a crise ainda deve ficar bem pior. Esperarei mais um pouco antes de ir.
Mirelle, gostaria de saber se além do preconceito com estrangeiros, como está a questão racial?

Obrigada

Mirelle Siqueira disse...

Oi Thais. Na verdade esse preconceito com estrangeiro é mais perceptivel quando se vive aqui. E, como estamos falando de franceses, ele não é tão claro assim. Eu, que moro aqui ha 3 anos, nunca sofri preconceito. Como turista é ainda mais dificil de perceber alguma coisa.

Os franceses são muito discretos (hipocritas?) quando o assunto é preconceito. O pais dos direitos do homem, o berço da democracia, etc. Todo mundo que eu conheço jura de pés juntos que vota esquerda, mas na hora dos resultados o que se vê é que a maioria da população vota pro outro lado. Nunca ouvi da boca dos meus amigos franceses alguma piada ou comentario preconceituoso, mas é notorio os problemas que a França vive hoje com os arabes. So que ninguém discute abertamente.

Esse texto que eu escrevi mencionando Hitler dificilmente seria escrito por um francês, por exemplo. Pra mim, esse preconceito disfarçado é ainda pior, porque enquanto não se admite o problema, não tem como lidar com ele.

Thais Lombardi disse...

Muito obrigada pelo esclarecimento Mirelle, muito obrigada mesmo!

Amanda disse...

Oi Mirelle, eu queria fazer algumas observações, pode? Primeiro, as pesquisas davam no mínimo 13% pra Le Pen e não no máximo. Olha essa pesquisa, por exemplo: http://www.rmc.fr/editorial/236685/les-sondages-piqure-de-rappel-a-la-prudence-pour-hollande/

Depois, não faz sentido somar os votos da UMP com o FN, porque os eleitores da Le Pen não seguem uma lógica. Para a maioria deles não tem isso de direita e esquerda. Uma pesquisa disse que um quinto dos lepenistas pretendiam votar Hollande no segundo turno, e isso porque ainda tinham muitos indecisos.

Front National separatista? Onde isso?

E poxa, vc já ouviu falar em Loi de Godwin? É quando as pessoas enfiam Hitler e o nazismo em todos os assuntos pra tentar comparar ou desacreditar, mesmo sem ter nada a ver com o tema. Dá uma busca no google, é bem engraçado. Olha, se os franceses nunca escreveriam um texto como seu falando de Hitler é porque na verdade Hitler não tem nada a ver com o assunto. Mas só pra ilustrar, Hitler surgiu de um partido que se dizia socialista, não da extrema-direita.

No mais concordo com vc sobre o medo da crise, o avanço da imigração e das pessoas comuns buscando refúgio no discurso da Marine Le Pen.

Mirelle Siqueira disse...

Oi Amanda, claro que pode. Posso responder também?

Bom, se Hitler pra você se resume ao cara que matou milhares de pessoas, a comparação parece mesmo descabida. Mas eu te convido a ir além. Você conhece um pouco mais sobre ele e sobre a sua "carreira politica", imagino. Assim como as propostas que ele fazia, o que o motivou a virar uma figura politica, quais eram os seus objetivos, enfim. Porque eu estudo muito sobre Hitler e posso te dizer que se você for além, vai encontrar facilmente uma relação entre o que o levou ao poder e o que fez a Le Pen ter 18% dos votos.

Eu não comparei nenhum candidato ao Hitler, eu comparei o cenario de crise e disse que, por causa dele, um homem com ideias loucas (que naturalmente jamais seriam aceitas pelos alemães e por ninguém no mundo) acabaram aplicadas e aceitas pela população. Estou comparando então o discurso sem fundamento algum da Le Pen (principalmente no que se refere à imigração, que é o foco do meu texto) ao discurso do Hitler. De maneira nenhuma estou comparando a Le Pen com o Hitler, até porque ela teria que comer muito arroz com feijão antes disso. Mas você não vai ter muitas dificuldades para encontrar semelhanças se quiser comparar outros setores. Economia, por exemplo. O que levou Hitler ao poder foi o seu discurso de relançar a economia, fazendo com que a Alemanha voltasse a ser um pais forte, cortando relações com seus vizinhos para não depender mais deles, principalmente da França. E o que vemos agora ? Marine Le Pen querendo deixar o euro e fazer de tudo para voltar a ser superior à Alemanha.

Enfim, o que eu disse foi que o mesmo que levou todas aquelas pessoas a apoiarem Hitler (o desemprego, a perda da identidade, etc) é também o que fez pessoas, que nem racistas são, a votarem FN.

Sobre as pesquisas da Le Pen, convenhamos que as sondagens francesas mudam todas as semanas e cada vez os resultados são diferentes. Uns pontos a mais, outros a menos, mas na reta final das eleições não vi nenhuma que dava mais de 13% pra ela. Essa que você mencionou era de março ainda. Sem falar que pesquisa francesa não tem la muita credibilidade. Basta ver a enorme vantagem que o Hollande levava sobre o Sarkozy (e que no final das contas acabou sendo de 1,5%). Sem falar so Melanchon, que tava super bem cotado e acabou ficando com uma porcentagem muito inferior. Agora, você não acha que a Le Pen foi a grande surpresa na contagem dos votos? Pois eu realmente não esperava e fiquei chocada quando vi, assim como também ficou toda a imprensa francesa, aparentemente.

Sobre a soma de votos, faltou ler o texto com atenção, Amanda. Eu disse que se somarmos os votos que o FN recebeu + os que receberam todos os outros partidos da direita, percebemos que quase 50% dos eleitores votaram em partidos que so falam em fechar fronteiras (extrema-direita/direita). Isso é fato, é matematica, basta você somar. Em momento algum eu comparei as linhas politicas dos dois partidos ou disse que seus eleitores seguem a mesma logica. Eu também não disse nem sugeri em momento algum que quem votou Le Pen vai votar Sarkozy.

Para terminar, não falei que o Front Nacional é separatista. Basta reler para ver que o que eu falei foi que as pessoas que votavam nele são. Não todas, claro. Mas, de modo geral, separatista = nacionalista = extrema-direita. Sarkozy em primeiro e Le Pen em segundo na Corse deve ilustrar o que estou dizendo, né?

Mirelle Siqueira disse...

Melenchon. Obvio que foi um erro de digitação na resposta acima.

Amanda disse...

Sobre as pesquisas, aqui (http://www.lemonde.fr/election-presidentielle-2012/infographe/2012/02/21/presidentielle-2012-comparez-toutes-les-intentions-de-vote_1637470_1471069.html) tem o resumo de todos os resultados dos sete principais institutos de pesquisa franceses. Sobre todos os resultados, de todos os institutos e em todas as semanas, apenas uma vez a Marine Le Pen teve 13%, nenhuma vez ela teve menos de 13%. Na última pesquisa ela teve 16, 15.5, 17, 16, 14, 17 e 16%. Vc tbm pode ver que a diferença das intenções de voto entre Sarkozy e Hollande tbm era bem pequena.

Sobre sua lógica de separatismo = nacionalismo = extrema-direita, desculpe, mas ela é muito, muito errada. E o assunto é bem mais complicado que isso. Separatismo é exatamente o oposto de nacionalismo. Separatismo é regionalismo. Na verdade eu fiz minha dissertação de mestrado sobre movimentos separatistas e nas minhas enquetes os separatistas eram tanto de direita quanto de esquerda. E não faz sentido dizer que os "separatistas franceses" (como se eles fossem um grupo significante, são cerca de 8% dos corses) votam FN, porque o FN é justamente nacionalista republicano. Provavelmente o Partido Verde de Eva Joly defende mais a auto-determinação dos povos do que o FN.

Sobre Hitler, desculpa, mas é tão clichê que nem animo discutir. Já passei da minha fase de deslumbramento com a Segunda Guerra Mundial há muito tempo.

Mirelle Siqueira disse...

Mais uma vez da para ver com esse seu link o quanto as pesquisas eram discordantes entre elas. Mas o foco principal do meu texto é a Le Pen ter sido uma surpresa e não as sondagens sobre ela. Mas se vc prefere se concentrar nos numeros, paciência.

Primeiro você diz que eu falei que o FN era separatista. Te mostrei que não, eu disse que parte de quem vota FN. E ainda provei que é verdade evocando os votos da Corse. Ora, eles sao minoria, sim! Foi o que eu disse no texto! Você precisa ir la na Corse dizer pra galera votar Eva joly entao, pq o pessoal foi todo no Sarkozy e na Le Pen. Manda sua monografia la pra eles, Amanda! quem sabe eles não aprendem que estao fazendo tudo errado e, seguindo os seus estudos, consigam finalmente se separar da França?!

Agora, se vc não gosta do meu blog, não gosta de mim, me acha deslumbrada pq eu me interesso pela Segunda Guerra e não tem interesse em discutir, vem fazer o que por aqui? Sugerir que eu escrevi bobeira no texto eu não vou permitir.

Amantikir disse...

Bonjour,Mirelle! Adorei seu post! Ele me fêz entender com facilidade o que acontece na França de hoje e os sentimentos das pessoas que moram aí! Parabéns! Beijos,

Leonardo disse...

Amor,

E isso é so o começo. Se a tendência for mantida, o FN ainda vai nos surpreender com o numero de deputados eleitos nas eleições legislativas de junho. E foi assim, pelo voto popular, que o Partido Nazista começou a ocupar aos poucos a Assembléia Nacional Alemã nos anos 30. E ainda tem gente instruida que acha clichê relembrar este episodio da historia, como que não precisassemos nos preocupar. Vai entender...

Independente de quem for eleito presidente, as coisas vão ficar mais complicadas pros estrangeiros nos proximos anos. Isso é inevitavel!

Mirelle Siqueira disse...

Ah, isso é verdade, Amor. Ja que, assim como hitler se dizia socialista e não era, Hollande tb se declara socialista mas é de centro. Mas vc ta garantido por mais uns anos amor! So uma Le Pen se atreveria a tomar de vc a nacionalidade e te expulsar do pais ficando com tudo o que vc pagou em impostos ate hj. Ixi, quem é mesmo que ja fez esse tipo de coisa no passado?

Milena F. disse...

O assunto é muito complexo mesmo, são tantas variáveis... Mas geralmente, como você disse, os franceses não vão falar abertamente algo que mostre que são racistas ou preconceituosos porque a lei é muito rigorosa quanto a isso.
Tem sim muito estrangeiro rico que vem aqui para investir ou gastar o seu dinheiro, como os milionários do petróleo , americanos, chineses ricos ou outros estrangeiros... Já vi reportagens que praticamente mais nenhum palácio francês pertence a um francês, todos foram comprados pelos estrangeiros... Cada vez que um imóvel de luxo está a venda, quem se disputa para comprá-lo, pagando preços absurdos? estrangeiros ricos...
Enquanto isso, a maioria dos franceses se encontram na tal classe média, impossível de comprar um "apto 2 quartos " em um bairro "passável" de Paris, e desde que estamos na tal classe média pagamos (na minha opinião) uma fortuna de impostos... Aí depois tem o outro lado, o estrangeiro pobre que não trabalha e vive às custas do governo, ou trabalha mas sem ser declarado, então além de viver com as ajudas ainda ganha um "salário"...
Certa vez fui enviada a um grupo no pole-emploi, estava eu e mais 19 estrangeiros. Apenas uma outra menina além de mim sabia escrever (na sua língua, não em francês). O facilitador fez uma rodada para que cada um se apresentasse e falasse da sua experiência profissional. Todos do grupo falaram que nunca tinham trabalhado na França (tinha gente que estava aqui há mais de 10 anos), e ele então instia para que falassemos da nossa experiência nos nossos países de origem. Tb ninguém falou que já tinha trabalhado em seus respectivos países, tb não tinham estudos nem nenhuma qualificação profissional. No final ele veio me falar que eu estava no grupo errado e me falou da sua frustação, pois todos os dias ele atendia grupos assim, e o que eles poderiam fazer enquanto conselheiros?
Então eu entendo quando muita gente reclama de pagar todos esses impostos e descontos no salário para toda uma parcela que não contribui para o crescimento do país (contribui sim, para o aumento da natalidade!!! hahah)
Aqui onde moro, a prefeitura recebe todos os dias 1500 estrangeiros... Imagina a quantidade de gente? Pelo menos a região, que já é muito mal vista, não possui mais dinheiro para tanta alocação, ainda mais porque os "pagantes" são poucos, séao minoria. Mas a prefeitura é de esquerda e continua acolhendo esses 1500 por dia...

Amanda disse...

Oi Mirelle, então, insisti nos números porque você baseou parte do seu texto sobre uma informação errada. E em vez de simplesmente admitir e consertar o que escreveu para não confundir seus leitores, vc preferiu tentar provar que estava certa.

Olha, realmente não entendo porque vc meteu separatistas na história. Na França não tem separatistas! 8% dos corses equivalem a 25 mil pessoas, 25 mil pessoas não significam nada nem localmente, quanto mais numa eleição presidencial. Não são apenas minoria, são uma minoria irrelevante. Eles não estão votando errado, pq eles simplesmente não se preocupam com isso. Ou vc acha que eles querem conseguir a separação atraves de um partido? Falar sobre separatismo francês nessa eleição presidencial prova total falta de conhecimento.

Eu nunca disse que não gosto de você. Só não concordo com algumas coisas que vc fala. Tinha muito tempo que eu não vinha no seu blog, desde aquela vez que vc me mandou um email gigantesco tentando provar que os franceses fediam sim, que eu não podia negar esse fato e eu não respondi porque achei que não valia a pena. Dai me mandaram um email com teu post perguntando se eu concordava e eu vim aqui dar uma olhada. Vi tantos erros básicos que não conseguir ignorar e ir embora. Mas se vc está me dizendo que não sou bem-vinda por discordar de vc, pode deixar que não volto mais.

Juliana Beaup disse...

Se em 5 anos a França nao der uma melhorada, se o cara de pau que entrar nao tiver competencia e sorte, Marine passa na proxima com 50%.......ja falei e disseram que sou louca, entao estou aqui nas apostas!
Nao tenho medo dela, nao iria embora, nem faria cocegas, TODOS pensam como ela na questao de imigrantes, a maioria por debaixo dos panos tomam ou tomariam as mesmas medidas mas apenas ela fala de boca cheia o que pensa. Me desagradaria MUITO na questao feminista e economica, nao acho ela um demonio, vejo ate pontos positivos.
Alias, EU conheço sim quem pensou em votar nela e outras pessoas que acham o discurso da Marine ao meno honesto com ela mesma......nao foi surpresa os numeros aqui em casa nao! E que vença Hollande, o menos pior......Bjos Mirelle.

Mirelle Siqueira disse...

Eu não baseei o meu texto em informação errada alguma, Amanda. Até porque, se eu tirar do texto a expressão "no maximo" que segue os 13% e que gerou todo esse debate, a ideia continua sendo a mesma: a de que a Marine Le Pen foi a grande surpresa das eleições. Você esta realmente acompanhando ai do Brasil? Porque, sinceramente, parece que não.

O meu texto não foi baseado em nenhuma informação errada. As unicas informações concretas ali são que Hollande e Sarkozy tiveram menos de 2% de diferença, que a Le Pen teve 18%, que somando os votos de direita e extrema-direita temos quase 50% do eleitorado e que os imigrantes mais trazem dinheiro para a França do que gastam. Essas são as unicas informações do texto. O resto são opiniões pessoais e a minha forma de ver a politica na França.

E a Corse não é separatista? Por que? Porque so 8% de quem mora la tem coragem de se declarar separatista numa sondagem? Por que so 8% defende de fato a criação de uma nação corse e acredita que consegue sobreviver sem a ajuda financeira da França? Isso não quer dizer que o resto das pessoas que moram la se sintam francesas ou amem a França.

Todos os franceses que viveram a 2GM e ainda estão vivos juram de pés juntos que eram resistentes. Quero ver aparecer um assumindo que era colaboracionista. Assim como todos dizem ser de esquerda, mas, que coisa louca, so tem candidato de direita chegando ao poder.

Eh por isso que um francês jamais cita Hitler em época de eleições, Amanda. Eles podem até falar de Stalin, de Franco, de Salazar, mas jamais de Hitler. Porque para evocar o nazismo eles teriam que assumir que colaboraram com ele. E, quem é que se arrisca a trazer isso para o debate?

Sinceramente, achei muito arrogante da sua parte você querer vir me dar aula de politica no meu texto. Eu respiro politica, estudo e analiso o assunto ha bastante tempo para ser capaz de escrever um texto simples como esse. Erro basico quem esta cometendo é você, não conseguindo intrepretar o texto.

Mirelle Siqueira disse...

Que bom, Amantikir! A intensão era justamente essa. :)

Milena, eu sugiro que você leia o texto que eu linkei sobre o gasto com os estrangeiros na França. Não são estrangeiros ricos que trazem dinheiro para o pais, é gente como o Léo mesmo, que trabalha muito e paga imposto de renda como todos os outros franceses da classe média. Aqui em casa não ganhamos um unico centavo do governo. Não temos nenhum tipo de ajuda, pra nada. A unica coisa que fazemos é pagar impostos. O texto fala sobre isso. A pesquisa faz cair por terra esse argumento de que os estrangeiros que estão na França hoje gastam mais do que contribuem. Se hoje todos os estrangeiros fossem colocados para fora do pais, a França teria mais prejuizo do que lucros, na verdade. Enfim, da uma olhadinha la.

Oi Juliana. Eu não tenho duvidas que se essa crise de hoje não melhorar nos proximos 5 anos, a Le Pen chega ao poder logo logo. Talvez não ja nas proximas eleições, mas em 10 anos pode ser sim. Mas, ao contrario de vc, eu tenho medo. Não do que ela possa fazer comigo, afinal eu tenho o meu Brasil pra voltar caso as coisas por aqui fiquem insuportaveis, mas por todos os individuos que pertencem à minorias e também pelas mulheres, que podem perder muitos dos direitos conquistados ao longo dos anos. A mulher é filha de um homem que nega o holocausto (e ela so não disse publicamente que pensa o mesmo pq viu as consequencias que sofreu o pai dela) e que acha normal etiquetar as pessoas por causa da origem delas. Não importa as propostas economicas e sociais que ela divulga, alguém que tem as origens que ela tem e que é de extrema-direita sempre vai me dar muito medo.

Natasha Ulmer disse...

Oi Mi!

Realmente esta sendo "interessante" a luta para ganhar os votos de quem votou na Marine no primeiro turno! O Sarko "direitizando" mais ainda seu discurso, e o Hollande nem se fala...

Nao gosto do Hollande, mas acho que vou votar nele no segundo turno, e acho que ele vai acabar ganhando mesmo. Vou dar uma chance para a esquerda conseguir controlar essa "bomba" que esta pra estourar na França.

Acho que o eleitor da Marine vai votar no Hollande para derrubar o Sarko, pensando nas proximas eleiçoes... A esquerda vai ter a oportunidade de conduzir a França durante 5 anos, porém, se nao conseguir tirar o pais da crise, o que acho muito dificil, nas proximas eleiçoes o FN vai liderar! Vai pegar todo mundo na extrema direita e da direita tb!

Nao acho que vc (pessoalmente) deva ter medo do FN nao. Primeiro que acho que eles nao podem simplesmente anular a nacionalidade francesa do Léo, sem ele ter feito nada de errado. O Léo trabalha, paga impostos, nao vive em HLM nem de alocaçoes, ou seja, nao é o imigrante que o FN nao quer mais na França. Nem vc, que estuda, trabalha e quando se formar nao vai viver de alocaçoes...

Vamos ver no que vai dar... Mas alguma coisa tem que ser feita, a França é polvora com palito de fosforo ao lado... E a hipocrisia francesa fingindo que nao rola tensao entre os franceses e imigrantes... Torcendo para o Hollande conseguir melhorar isso...

Lulu disse...

Eu nao tenho muuuita opiniao formada nesse assunto, soh tenho 1 ano e meio de França e nao voto, claro. Mas essa coisa de partido colocar o problema todo nos imigrantes, acho demais.

O sistema é q tem falhas. Muitas coisas deviam ser avaliadas.

Engraçado q o Sarkozy é filho de imigrantes e casado com uma italiana. Mas pq sao de uma "casta nobre", estao fora desse termo "imigrantes".

Eu entendo a preocupaçao com a imigraçao, mas nao dà pra ser extremista tb. As ajudas sociais sao justamente pra nao virar um" Brasil da vida", cheio de violência, desigualdade, miséria... é graças essas "ajudas" q a economia circula e a diferença social é mais equilibrada.
Eu como estrangeira nunca recebi ajuda nenhuma aqui, pelo contrario, tenho q pagar todo ano pra ter direito de ficar rs. E nao trabalho, nao pq nao queira, e sim pq o mercado exige de miim oq ainda nao tenho no momento.
Acredito q soh recebem ajuda quem tem direito, e realmente necessitado, nao é tao facil assim receber. Se o sistema abre brechas pra certos imigrantes terem "boa vida" ( aspas pq eu nao acho boa vida viver de miséria de governo e em locais desfavorecidos e esquecidos) é ele q deve ser mudado.
Lembrando q tem muuuuuuitos franceses q vivem de ajuda do governo. Nao é soh imigrantes nao. Mas mesmo assim ele recebe pq tem direito, o sistema deixa.

Muitos q trabalham, tem boa vida, esquecem q o mundo dà voltas, e um dia poderemos precisar de tal ajuda. Pra isso pagamos impostos. Um dia, mais cedo ou mais tarde, precisaremos.

Acho q nao devemos ser radicais nem de um lado nem de outro. Nao tenho um partido ou candidato preferido. Mas acho q se a Le Pen um dia ganha, todos nos teremos q fazer as malinhas hehehe. Brincadeiras a parte, acho q nao serà nada facil para nòs estrangeiros e ainda acarretar varias revoltas no paìs.

Mirelle Siqueira disse...

Oi Nat! O meu medo não é por mim e pelo Léo não. Se um dia esses loucos da extrema-direita tirarem o nosso direito de ficar aqui a gente arruma as malinhas e vai vender côco nas prais do nordeste. A gente tem pra onde voltar. Eu tenho medo é de ver a historia se repetindo mesmo. Eh pela humanidade. falei da França pq é aqui que eu vivo e é a politica daqui que eu conheço mais. Mas, como eu falei no texto, tem uma onda ai levando muitos paises europeus pra governos de extrema-direita e isso me da medo sim. Pq ser governado por essas pessoas é ver as diferenças sociais aumentar, é ver as mulheres perderem direitos, é ver imigrantes, negros, homosexuais, arabes, brasileiros, enfim, sendo cada vez mais oprimidos. O mundo da extrema-direita é injusto e me da muito medo. So que eu nunca pensei que eu sentiria tudo isso vivendo na França, o pais da democracia e dos direitos dos homens.

Boas colocações, Lulu. Acho estranho ver imigrante falando mal de imigrante. Até parece que essas pessoas não sabem que quem muda de pais o faz para buscar uma vida melhor. Ninguém deixa o pais onde nasceu para viver pior no pais dos outros. Desde que o mundo é mundo as pessoas se deslocam em busca de melhores oportunidades e condições de vida. Esses imigrantes que estão aqui "aproveitando da ajuda do governo" sairam muitas vezes de paises que estão em guerra civil! Ou de paises que foram devastados e colonizados pelos proprios franceses. Acho sim muito justo que o governo francês arque então com um pouco das despesas. Gostei muito do seu uso das aspas, porque realmente, essas pessoas que ganham alguma ajuda porque tem filhos vivem com o minimo. O necessario para sobreviver. Tem tanta coisa errada nesse discurso racista sobre os imigrantes, mas td é tão hipocrita e mascarado que até os proprios imigrantes são capazes de repetir esse discurso sem perceberem os absurdos que estão dentro dele.

Lulu disse...

Pois é, mesmo com tudo isso, ainda sei q ha imigrantes q vem causar problemas tb e por isso os outros trabalhadores ou refugiados, ou q nao teve tanta escolha como eu rs, acabam pagando a fama dos outros e causando certa revolta em alguns franceses.

Infelizmente culturas diferentes q se encontram acabam gerando algum conflito. Mas todo cuidado é pouco pra nao cairmos nos discursos fascistas. Essas ideias sao mais perigosas do q imaginamos.

Mas concordo q alguma coisa tem q ser feita pra melhorar o sistema.

Camila disse...

Acho interessante, na verdade necessário fazer a analogia do cenário atual político, e não apenas da França, com outros eventos passados, inclusive com um dos piores que temos registro, que foi o nazismo. Isso é importante para que não se cometa os mesmos desvios do passado. Infelizmente existem pessoas que preferem esquecer tais fatos, pois acham clichê, dando chance assim para essas situações se camuflarem e talvez renascerem novamente. A história sempre tem que ser revista, pois foram pessoas como nós que a escreveu.

Anna disse...

Pois é, Mirelle, também fiquei preocupada com os números, 18% é um número muito representativo. Mas o que mais me enerva nisso tudo é achar que o problema do francês é o imigrante... o problema está sempre com o outro, nunca com a gente e nesse tipo de comportamento os franceses são experts! Depois de anos de colonização e opressão os franceses não querem coler os frutos do que eles mesmo plantaram. Eles podiam entrar em outros países para colonizar mas quando um Argelino, por exemplo, vive aqui na França ele é o problema do francês... Enfim... a crise é muito mais complexa do que só mandar alguns imigrantes embora do país... sem tocar no estudo sobre o lucro do país com os imigrantes.

Obs: Te vi na rua mercière sexta... mas como vc passou rápido nem deu tempo de falar.

Mirelle Siqueira disse...

Isso mesmo, Camila. Esquecer a Historia é correr o risco de fazer tudo o que fizemos errado de novo, ja disseram por ai.

Oi Anna, fui la conhecer o seu blog e vi que vc tb escreveu sobre o assunto. Legal. Temos mais é que alertar para essa loucura que é o crescimento do eleitorado da Le Pen aqui na França. Da proxima vez que me vires, me chama pra dar um oi. Ou senão me escreve, pra marcarmos um café.

Mirelle Siqueira disse...

Amanda, sobre o seu argumento de que "não faz sentido dizer que os "separatistas franceses" (como se eles fossem um grupo significante, são cerca de 8% dos corses) votam FN, porque o FN é justamente nacionalista republicano", tem um texto legal que você deveria ler:

http://www.corsematin.com/article/corse/les-militants-nationalistes-corses-sont-ils-les-electeurs-du-front-national.639718.html

Anna disse...

Oi Mirelle,

Escrevi sim... quase impossivel não escrever sobre isso... e compartilho das mesmas opiniões que você. Vamos marcar um café sim, com direito à algum doce francês bem gostoso! Posso qualquer dia... menos segunda e quarta. Quando você quiser. Beijos.

Lulu disse...

imigraçao ta em todo canto. A Suécia, EUA, nunca colonizaram ninguem e estao cheios de imigrantes também.

Mesmo o Brasil agora està chovendo imigrantes pra la. Seja refugiados do Haiti, ou sul americanos, africanos, ou até mesmo portugueses e espanhois estao correndo pra la tentar aproveitar o tal crescimento

Vi um documentario em q a China està tendo muitos imigrantes africanos, e eles, os chineses, sao SUPER preconceituosos e até violentos com os negros. Tem lugar q negro nao entra mesmo. é louco!!

Eh a globalizaçao!! Misturada boa danada rsrsrs

Milena F. disse...

Mirelle, eu tinha lido o link sim, até porque como vcs que trabalham e pagam impostos, nós aqui em casa tb (eu comecei a trabalhar no dia em que recebi a minha primeira carta de sejour e desde então nunca fiquei sem trabalhar nem pagar impostos), assim como temos vários amigos brasileiros ou de outras nacionalidades que trabalham e pagam impostos... Mas sinceramente, se não colocarmos os ricos no meio das contas, tenho minhas dúvidas de que o balanço fosse positivo...
sem contar que tb conheço muito estrangeiro (brasileiro inclusive) que para ter visto e viver legalmente na França teve que provar que trazia para o país uma boa quantia... Não alguns milhares de euros, mas realmente milhões... Um amigo nosso que trabalha na embaixada francesa em um país do oriente médio sempre nos conta como funciona para trazer estrangeiros ricos (e seu dinheiro) para a França, para chegar a um balanço positivo. Então, seja a Le Pen ou qualquer outro, eles não querem acabar com a imigração, mas com a imigração "pobre", essa que é a hipocrisia da história. Pois os estrangeiros ricos ou com potencial (Sarkozy já fala da imigração choisie, ou seja, pessoas como o seu marido com uma boa formação acadêmica e que vão contribuir para o desenvolvimento do país), esses são e serão sempre bem-vindos!

Nathalia disse...

Mirelle,

Adorei seu texto, aprendo muito com você!
Espero ler mais sobre política por aqui!

Beijos

Fernanda Ornelas disse...

Tbm aprendi muito com o seu texto. Em 6 anos que moro aqui concordo com o que vc escreveu. Pricipalmente quando vc fala da Corse. Pois meu marido é Corso como toda a sua familia e eu morei la durante 3 anos. TODO Corso tem o espirito separatista mas a maioria tem medo pq eles sabem que nao sao capazes de se "auto sustentar". E quando vc fala com os Corsos "expatriados" (que moram na França) eles tem medo de perderem os direitos que eles conquistaram na França".

Mas tbm nao gosto de certos estrangeiros que abusam das ajudas do governo. Como vc, minha familia nunca teve ajuda nenhuma. Mas uma mae estrangeira, que conheci na escola da minha filha disse "IMAGINA SE LE PEN GANHA PERDEREMOS TODAS AS AJUDAS QUE RECEBEMOS, COMO IREMOS FAZER?" e eu disse, "como eu sempre fiz, nunca recebi nada de ninguém".

Um beijao pra vc! E obrigada pelo texto!

Patty disse...

É realmente muito preocupante, e estou com o Léo, que vença o mais humano!
Não sou ligada à política, mas começo a me preocupar quando os estrangeiros europeus vêm tomar nossos postos de trabalho aqui. Eu, que já estou desempregada há um mês, começo a me questionar sobre várias coisas.
Voltando de Roma para Paris bem no dia das eleições do primeiro turno, pude ver a agonia dos franceses em querer saber o resultado. Duro foi ver a cara deles de triste quando chegamos no saguão do aeroporto.
Pelo que pude perceber, eles torcem pelo socialista e querem tirar o Sarkowzi do poder.
Que vença o mais humano mesmo, Léo!
Bjos, Mi!

Anônimo disse...

Oi, Mirelle, para aplacar os ânimos, hahaha, Vc já leu o livro: A Chave de Sarah? Retrata bem a postura dos franceses na 2ª guerra mundial. E realmente, toda essa situação é preocupante. Um abraço, Lia

Andrea disse...

Oi Mi, como vão vocês?
Faz tempo que não entro aqui. Fiquei feliz de ver novos posts.

Como a Patty disse, eu também não sou muito ligada em política, mas vou dar uns pitacos (com um certo bom humor).

Gente, essa Marine Le Pen está bem acabadinha (ela tem 43 anos) mora na França que é o país dos dermocosméticos e tão enrugadinha... Pasmei!
Enfim, ela está dizendo que não apoiará nenhum dos outros candidatos e esses 17,9% votos que ela recebeu se dividirão entre todas as outras opções (2 candidatos,voto em branco e não ir votar - aí pode não ir votar né?).

Na minha opinião pode ocorrer aí o que aconteceu com os votos da Marina Silva aqui(ela não apoiou nenhum dos outros dois candidatos e seus votos não influenciaram aparentemente na vitória de nenhum dos dois, pelo menos aparentemente).

Agora o Sarkozy. Ele sacou que corre verdadeiramente o risco de perder a eleição...deu um grande giro para a direita, fazendo discursos nacionalistas e criticando a imigração e a insegurança (na cara de pau quer conquistar os votos da Le Pen).
Sei lá se é isso que ele verdadeiramente pensa, mas entrou em desespero!

Li que ele chegou a afirmar que o país não pode continuar a receber tantos estrangeiros, sugerindo uma redução drástica na entrada deles na França e a aplicação de um teste do idioma nacional para quem quiser permanecer no país...

Agora a estratégia do François Hollande e mais comedida! Está voltada para a insatisfação do povo com a crise econômica...novidade!?
Aí como o povo está descontente pode arriscar em um novo candidato e mudanças.
Hollande parece mais autoconfiante, mais calmo e diz que pretende mudar o rumo econômico da Europa (e isso que todos querem ouvir!).
Vi uma entrevista hoje e ele está falando de valores e visão, de justiça e igualdade, mas não entra em outras questões de como vai resolver os problemas. Talvez o povo francês vai preferir dar a chance e pagar para ver o que ele pode fazer!
Bom aqui vai meu palpite...

De qualquer maneira o mundo está globalizado demais. Nunca como antes estamos aqui, estamos aí, estamos em todo lugar... a França não vai querer dar um passo atrás. Será?

Beijos... e o friozinho está chegando aqui! Adorooo

Anônimo disse...

Como existe leitora(?) chata e pretensiosa!!! quem pensa tão diferentemente o q vem fazer aqui?
Tb. falar em clichê de um fato importantíssimo é no minimo ignorância!..

marcia

Luciana Barros disse...

Oi Mirelle entendi exatamente o que você quis dizer com o texto e concordo. Excelente a comparação entre a crise da Europa atual e a de Hitler. No fim das contas, pra bom entendedor, aconteceu exatamente o que você disse. Pra você ver como o desespero de um povo o faz perder a razão! Se em 5 anos a França continuar do mesmo jeito (não falei nem em piorar), a Le Pen terá esses 18% multiplicados por outros tantos, e como de grão em grão a galinha enche o papo poderemos esquecer o "Liberté, Fraternité, Égalité". Surreal!! Bjs

Mr. Lemos disse...

Irmã, sua análise tá muito boa e eu tô muito feliz por te ver botando em prática aqui todo o pensamento que sua vida aí está fazendo girar na sua cabeça. Não sei quando vc publicou o post, mas cheguei meio tarde. Agora a Le Pen até já anunciou que não vai apoiar ninguém no segundo turno. Enfim. Tenho cá minhas opiniões sobre esse negócio de imigração. Sou imigrante há mais de 4 anos e sempre estive dentro da lei e pagando impostos. Exatamente como vc e o Leo. Acho que temos o direito, assim, como as pessoas que nasceram no país em que vivemos, a ficar putos com quem vem pra cá viver de benefícios, às custas das taxas altíssimas que nós pagamos. O problema é que os mais ignorantes não sabem separar as coisas e os preguiçosos ajudam a generalizar. E daí vira xenofobia e todo esse absurdo perigoso que vc mencionou muito bem. Um dia precisamos falar dessas coisas no boteco... ;)
bjoca

Leonardo disse...

PQP!!! Muito bom esse filme "A chave de Sarah". Brigadão pela dica Lia!

Mirelle Siqueira disse...

Lia, valeu pela indicação! Tô na metade de 3 livros que não consigo terminar porque estou em periodo de provas, então não quis esperar para ler o que você indicou; Por isso o Léo baixou o filme, que assistimos hoje. Adoramos! Muito obrigada pela dica! recomendo pra todos que se interessam pela 2° guerra, pelos franceses ou por boas historias.

Anônimo disse...

Então, Mirelle, eu ainda não vi o filme, só li o livro. Mas vou assisti-lo em breve. Que bom que vc gostou, realmente é uma boa história. Bjss, Lia!

Vânia Wolf disse...

Olá Mirelle,
Nossa quanta polêmica! Ainda bem que a internet é democrática e tem espaço pra tudo e todos, mas na verdade o que eu quero saber é se os estrangeiros sem formação tem vez por aí, como está o mercado de trabalho, digo como fica as funções que "eles não querem fazer" isso existe ainda aí? quem quer fazer o que os formados não querem, já que tanto os franceses quanto os estrangeiros procuram estudar e se especializar muito para sempre conseguir oportunidades melhores? vc acha que é suicídio tentar um emprego na França hoje sem formação superior??

Anônimo disse...

Ola Mirelle, qual o seu e-mail? gostaria de enviar um e-maial para vc pois tenho umas perguntas. obrigada maciell.maria@gmail.com

Mirelle Siqueira disse...

Oi Maria, pode me escrever no blog13anosdepois@hotmail.com

Jeys disse...

Isso afirma ainda mais a ideia que a crise do capital gera em nós um medo que muito provavelmente nos levará a aceitar governos facistas e ditatoriais, que sempre culminam em guerras civis internas e externas.

Aqui no Brasil ainda vivemos "tempos de paz", mas eu não acredito que passaremos ilesos a essa crise mundial. Até porque, ela é cíclica e parte de um sistema econômico a qual nós também estamos submetidos.

Enfim... triste mas não inesperado. Para mim apenas uma consequência do modo de vida escolhido por nós.

Anônimo disse...

Não entendo muito de politica mas compartilho com você o temor pelo que pode fazer um louco com idéias nacionalistas impregnadas de preconceito e prevenção contra os diferentes!

Leia também:

Related Posts with Thumbnails