domingo, 16 de fevereiro de 2014

Um roteiro de cinema em Lyon

Eu moro num bairro meio afastado do centro, o que não é de todo mau. Tem comércio, bons restaurantes, metrô. Às quartas, tem uma feira orgânica e, aos sabados, a tradicional - com barracas de cacarecos e livros que eu adoro garimpar.

Mas até pouco tempo eu pensava que, turisticamente falando, o 8ème não era um lugar interessante. Quando recebia visitas, corria para o centro da cidade. So que isso começou a mudar. Passei a dividir o meu tempo livre entre os bairros mais tradicionais e o meu. E foi nesse ajuste que finalmente eu pude visitar o museu-simbolo de Lyon, ao lado de casa.


Não gosto de classificar passeios como "obrigatorio" ou "imperdivel", mas me permito a escorregada para dizer que estes adjetivos se aplicam perfeitamente ao Museu Lumière, principalmente para os cinéfilos que sonham visitar o local onde foram rodadas as primeiras cenas da historia do cinema e conhecer a casa e a vida dos irmãos franceses que inventaram a sétima arte.

Se identificou? Então este é um programa para fazer assim que você colocar os pés na cidade - antes mesmo de seguir este roteiro aqui


O passeio ja começa ao descer na estação de metrô Monplaisir Lumière, toda decorada em homenagem aos irmãos Lumière. A casa que abriga o museu, construida em 1899 para ser a residência da familia, é apenas uma das boas surpresas do passeio. Fiquei encantada com o estilo art nouveau e art déco da casa, que mais parece um pequeno castelo.


Museus de cinema existem no mundo todo, mas nenhum outro, além do de Lyon, exibe itens tão importantes como o primeiro cinematografo da historia - um aparelho capaz de projetar sequências de imagens dando a impressão de movimento, inventado por Louis Lumière. Mas não é so isso. O museu também possui em sua coleção outras grandes invenções dos irmãos franceses, como o autocromo, a primeira técnica industrial de fotos coloridas, muito usada nas fotos da Primeira Guerra Mundial.


Em duas horas é possivel visitar as diversas salas interativas do museu e também as salas de exibição onde podemos assistir a alguns dos filmes mais antigos do cinema. Além disso, o museu/cinemateca possui um jardim lindo que vive cheio no verão, onde estão dispostos painéis que contam um pouco das invenções malucas dos irmãos Lumière.

Mas o lugar mais importante para os amantes do cinema talvez seja o antigo galpão da fabrica da familia Lumière, que fica atras do jardim. Foi exatamente ali, na rue du premier-film, a rua do Primeiro Filme, que foram rodadas as primeiras cenas do cinema, num filme dirigido por Louis Lumière ("A saida dos operarios da fabrica", em português), utilizando o cinematografo. O que resta do cenario original são as vigas de madeira que ficavam no teto da fabrica. No lugar da antiga fabrica, existe hoje uma sala de cinema que exibe durante o ano todo filmes franceses e estrangeiros que entraram para a historia.


Mas o passeio não termina aqui. Para continuar no universo dos irmãos inventores do cinema, sugiro uma pequena caminhada até a Avenida des Frères Lumière para conhecer o mais novo restaurante do Paul Bocuse, o Marguerite. O chef de cuisine francês mais famoso e respeitado do mundo escolheu a chef brasileira Tabata Bonardi para ser a responsavel pela cozinha do seu novo empreendimento.


A casa onde Auguste Lumière viveu com sua esposa Marguerite foi toda renovada para abrigar o restaurante, mas conservou o seu estilo art nouveau (dizem que investiram 3 milhões de euros na reforma). A proposta é revisitar pratos tradicionais franceses; o resultado é uma comida saborosa em um ambiente refinado, mas não a ponto de causar desconforto. Foi por ter comido muito bem la, mas também por ter me sentido tão à vontade, que este se tornou um dos meus restaurantes preferidos em Lyon.

No almoço, um menu com entrada + prato + sobremesa custa 28,60€. No jantar, o menu Lumière sai por 42€. Consulte os menus aqui e lembre-se de reservar antes. 


O meu bairro guarda ainda uma ultima surpresa, que vai fazer você me agradecer por ter te convencido a deixar o eixo turistico do centro da cidade para descobrir pequenas delicias do cotidiano lionês.

Depois de visitar o museu, se não conseguir uma reserva no Marguerite, siga caminhando pela Avenida des Frères Lumière por dois quarteirões, até o numero 174. Não resista ao convite da vitrine discreta e apetitosa do artisan chocolatier François Gimenez. Entre e escolha alguns chocolates para levar ou uma das sobremesas, caso consiga escolher apenas uma. O lugar conta com os talentos do Joffrey Lafontaine, membro da equipe vencedora da Copa do Mundo de Patissêrie em 2013.


Dez minutos de metrô te separam do museu mais importante da cidade, do restaurante mais badalado do momento e dos melhores doces de Lyon. E eu achando que meu bairro era sem graça...




Museu Lumière
Metrô: linda D, estação Monplaisir Lumière
De terça a domingo, das 10 às 18h30
Tarifa: 6,50€

Restaurante Marguerite
57, avenue des Frères Lumière
Aberto todos os dias, das 12 às 14h e das 19 às 22h30
Telefone: 04 37 900 300

François Gimenez
174, avenue des Frères Lumière
Aberto de terça a sabado, das 8 às 19h15 e aos domingos, de 8 às 12h.


10 comentários:

Natalia Itabayana disse...

Ja declarei aqui em casa: Lyon vai ser destino de repetidas escapadas de fim de semana. Que sorte que estou a pouco mais de uma horinha de trem :)

documentaromundo disse...

Olá Mirelle: estive recentemente em Lyon mas infelizmente o pouco tempo não permitiu esta visita. Numa próxima, estará na lista de prioridades. Obrigada pela partilha.

Elisa Tannure disse...

Essa patisserie é maravilhosa!!! Nao consegui escolher um dode só, é claro... Vale muito a pena, um dos melhores que comi durante toda a viagem. E o museu é maravilhoso... Alias, foi la no jardim que me sentei pra apreciar os doces haha

Boia Paulista disse...

Oi, Mirelle. Tudo bem? :)

Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

Até mais,
Natalie - Boia

Vera disse...

Esse é um dos museus que ainda não consegui explorar em Lyon, mas acredito que valha muito a pena.
Quanto ao restaurante, experimentei em muito boa companhia e posso comprovar que a comida e ambiente são óptimos (e a casa onde ele está instalado maravilhosa!)

Obrigada por nos presenteares uma vez mais com um belíssimo post ao nível do texto e das fotografias...é por isso que não podes deixar de escrever! ;)

Leonardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leonardo disse...

Amor,

E pensar que o fato de Lyon ser o berço mundial do cinema é "só" uma das muitas coisas que fazem Lyon uma cidade especial. Acho que os leitores ainda vão se surpreender muito, mas não quero estragar surpresas :D

Bjim,

Léo

Mirelle Matias disse...

Pertinho desse jeito da pra fazer bate-voltas o ano todo, Natalia! Lyon é mesmo merecedora do "esforço"! :)

Otima dica, Elisa! Eu também compro macarons pra comer na grama do jardim. Outra coisa que adoro fazer no verão é pedir um sorvete no Jeff de Bruges ali na pracinha e correr pra tomar no jardim. Acho que qualquer desculpa é boa pra se sentar ali e ficar aproveitando o sol, né?

Obrigada, Natalie! :)

Não acredito que você ainda não foi, Vera! Podia jurar que ja tinha ido! Gente, tem que ir! Eh mesmo muuuuito legal! Precisamos tb aproveitar melhor a programação dos festivais desse verão pra ver uns filmes legais ali.

Surpresas? Oi? Ta falando do que, amor? :p

Nathalia disse...

Que vontade de morar aí! Nada como estar cercada de tanta história e cultura! Excelentes texto e fotos. Parabéns!

Nine disse...

Oi, Mirelle! Ai, a cada vez que vejo no Intagram que vc publicou novidades por aqui meu coração dispara... E a angustia de esperar até o finde pra ler o post? Menina, é demais! Agora, li com calma, saboreando cada detalhe e memorizando pra quando conseguir viajar!
Fiz até um roteirinho mental! Acho que vai ter gente sonhando com essa viagem hoje a noite!

Só pra lembrar (e reforçar) fico super feliz quando tu volta a escrever por aqui!

Beijão!

Leia também:

Related Posts with Thumbnails